17/5/21 20:37
Atualizado em 17/5/21 às 20:37

Ação na Rodoviária facilita acesso feminino à internet

Projeto vai apresentar cursos, oficinas, canais de denúncias e informações sobre os direitos das mulheres, disponíveis na web

A Rodoviária do Plano Piloto será palco da campanha Wi-Fi Social das Mulheres. A ação educativa começa nesta terça-feira (18) e tem o objetivo de apresentar a todas as mulheres que circulam pelo local ferramentas, disponíveis na internet, de prevenção e denúncia em relação à violência de gênero, além de cursos de capacitação e de informações sobre direitos. Tudo feito em minutos, em alguns cliques.

“Cada mulher que acessa o wi-fi gratuito abre para si um mundo de possibilidades, como buscar vagas em empregos, se capacitar ou, até mesmo, fazer uma denúncia”Gilvan Máximo, secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação

Fruto de uma parceria entre a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), Secretaria  da Mulher, Administração da Rodoviária do Plano Piloto, Associação Comercial do Distrito Federal (ACDF) e Conselho da Mulher Empresária (CMEDF), a iniciativa é uma ação educativa dentro do projeto Wi-Fi Social DF, lançado pela Secti-DF em 2019, mas, desta vez, voltada, especificamente para as mulheres.

“O projeto já teve mais de 60 milhões de acessos. Cada mulher que acessa o wi-fi gratuito abre para si um mundo de possibilidades, como buscar vagas em empregos, se capacitar ou, até mesmo, fazer uma denúncia”, ressalta o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do DF, Gilvan Máximo.

As equipes dos idealizadores da ação estarão na Rodoviária nos dias 18, 20, 25 e 27 de maio e no dia 1º de junho, sempre das 9h às 16h. A proposta é abordar mulheres que estão em trânsito para apresentar o projeto e tirar dúvidas sobre como acessar as redes e os serviços disponíveis virtualmente.

Serviços

A Secretaria da Mulher irá levar uma unidade móvel para chamar a atenção do público-alvo sobre a importância de se ter conhecimento sobre legislação e direitos femininos, bem como saber quais são os caminhos disponíveis para o combate e para denunciar a violência contra a mulher. A equipe da pasta também irá falar das oportunidades para alcançar a autonomia financeira e econômica sem sair de casa.

Durante a pandemia, criamos canais de teleatendimento para mulheres que precisam denunciar situação de violência, mas estão confinadas com seus agressores. Oferecemos cursos on-line e gratuitos para que elas possam empreender na segurança de seus lares”Ericka Filippelli, secretária da Mulher

Entre os serviços apresentados está o agendamento no Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Ceam), que oferece atendimento psicossocial às mulheres em situação de vulnerabilidade. Além disso, as mulheres que passarem pelo local poderão conhecer as oficinas de capacitação e as oportunidades para empreender pela internet que a Secretaria da Mulher oferece às mulheres, como os programas Oportunidade Mulher e Mulheres Hipercriativas, bem como terem acesso à agenda dos cursos presenciais realizados no espaço Empreender Mais Mulher. Todos são gratuitos, com inscrição por meio de um formulário on-line.

“Um dos maiores desafios da nossa pasta é criar oportunidades de incentivo para a mulher empreender e conquistar sua autonomia econômica. Isso, com certeza, vai assegurar a possibilidade de ela escolher qual futuro quer ter e de não ser refém de uma situação de agressão”, diz a secretária Ericka Filippelli. “Por isso, durante a pandemia, criamos canais de teleatendimento para mulheres que precisam denunciar situação de violência, mas estão confinadas com seus agressores. Além disso, oferecemos cursos e oficinas de capacitação on-line e gratuitos para que elas possam empreender na segurança de seus lares”, acrescenta.

Durante os dias da ação, a equipe estará espalhada em diferentes espaços da Rodoviária, uniformizada com a camiseta da campanha Wi-Fi das Mulheres, atendendo a todas que ali passarem e queiram se conectar. Mais que uma simples conexão, o objetivo é mostrar à mulher do Distrito Federal que o acesso à internet é uma ferramenta de empoderamento.

*Com informações das secretarias de Ciência, Tecnologia e Inovação e da Mulher