30/6/21 8:24
Atualizado em 30/6/21 às 10:21

Divulgado o balanço da primeira semana de ações da ASP

Projeto que integra Segurança Pública e outros órgãos de governo atuará por três meses na Cidade Estrutural

Após uma semana do lançamento do projeto Área de Segurança Prioritária (ASP), na Cidade Estrutural, a mudança no policiamento e organização da região já somam resultados positivos. Nesse período, registraram-se 695 abordagens pessoais e 354 fiscalizações veiculares, além da apreensão de 1,4 kg de maconha, 125 g de skank, uma arma branca, dois radiocomunicadores e uma balança de precisão.

A limpeza também ganhou reforço, com a retirada de 280 toneladas de entulhos, inservíveis e restos de poda. Além disso, entre os dias 22 e 26, foram realizados quase 400 atendimentos diários de promoção de cidadania e saúde à população local.

As ações voltadas para o atendimento ao público e promoção de cidadania estão previstas durante os três meses de realização da ASP, na Estrutural | Foto: Divulgação/SSP

O objetivo da ASP é reduzir indicadores criminais em relação à média do DF e integrar regiões com menores dados populacionais. Para isso, é feito o raio-X da criminalidade local, com o mapeamento detalhado de vulnerabilidades sociais e desordens – como falta de iluminação, carcaças de veículos abandonados e mato alto.

“Levantamos as desordens e realizamos um diagnóstico do que seria necessário para melhorar a qualidade de vida dos moradores. Com isso, elaboramos um plano de ação integrado junto aos órgãos do governo”Delegado Júlio Danilo, secretário de Segurança Pública

“Os resultados das ações integradas já começam a ser percebidos. Os dados apresentados mostram o início de uma série de mudanças que acontecerão na vida da população. Dentro dos objetivos da ASP, verificamos que seria necessário esse olhar diferenciado do setor público para a Estrutural, com ações específicas para região”, explica o secretário de Segurança Pública, delegado Júlio Danilo.

De acordo com o titular da pasta, foi feita uma ação prévia para implementação do projeto na região: “A reavaliação de rotinas de emprego operacional, bem como da estrutura e funcionamento de delegacias e batalhões, foi feita em conjunto com as forças de segurança, para que pudéssemos alcançar resultados de forma rápida e sistemática. Levantamos as desordens e realizamos um diagnóstico do que seria necessário para melhorar a qualidade de vida dos moradores. Com isso, elaboramos um plano de ação integrado junto aos órgãos do governo, como Casa Civil, Administração Regional, Secretarias de Obras e da Mulher, CEB, DF Legal e as forças de segurança pública”.

Mais segurança

Entre os dias 22 e 28 deste mês, a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) efetuou 695 abordagens pessoais. O total de veículos abordados chegou a 220. As ações ficaram a cargo do batalhão local – o 15º Batalhão – e tropas especializadas, como o Batalhão de Policiamento com Cães (BPCães), Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (Rotam), batalhões de Policiamento de Trânsito (BPTran) e Batalhão de Policiamento Rodoviário (BPRv).

“As abordagens são essenciais para que sejam retiradas de circulação substâncias proibidas e armas, o que incide diretamente na redução de crimes contra a vida e contra o patrimônio”, avalia o secretário executivo de Segurança Pública, delegado Milton Neves. Só no âmbito do trânsito, foram feitas 324 notificações.

“Estamos atuando com uma média de 60 policiais diariamente desde o início da ASP, o que inclui nosso policiamento ordinário, apoio operacional e de tropas especializadas. O objetivo, além de reduzir a criminalidade e melhorar a sensação de segurança, é expandir os atendimentos realizados pelo Provid [Policiamento de Prevenção Orientada à Violência Doméstica e Familiar], aumentar o uso de motocicletas no policiamento preventivo e nos aproximarmos ainda mais da população”, ressalta o comandante do 15º Batalhão, major Alessandro Arantes.

De acordo com o militar, alunos do Curso de Formação VII, da PMDF, reforçam as ações. “De forma sistemática, teremos o apoio dos alunos, que já se encontram na fase de estágio, o que inclui participar de ações sob supervisão”, disse.

“Com a mudança, a delegacia passou a contar com uma central de flagrantes, que contribui com a agilidade de nossos serviços e também com os policiais militares, que podem apresentar situações flagranciais com mais rapidez, sem deslocamento à 1ª DP, na Asa Sul, como era feito anteriormente”Delegado Rodrigo Bonach, titular da 8ª delegacia de Polícia

Ação antidrogas

A atuação do BPCães tem sido essencial para a apreensão de drogas. “Fazemos buscas diárias na região com auxílio dos cães, que são essenciais para identificação de substâncias ilícitas e armas”, explica o comandante da unidade, major Carlos Reis.

Os flagrantes são encaminhados para a 8ª Delegacia de Polícia, inaugurada na região há exatamente um mês. “Com a mudança, a delegacia passou a contar com uma central de flagrantes, o que é extremamente benéfico, pois contribui com a agilidade de nossos serviços e também com os policiais militares, que podem apresentar situações flagranciais com mais rapidez, sem a necessidade de deslocamento à 1ª DP, na Asa Sul, como era feito anteriormente”, explica o titular da unidade policial, delegado Rodrigo Bonach. Policiais civis estão atuando no cumprimento de mandados de prisão emitidos para região.

O Departamento de Trânsito do DF (Detran) fez 134 abordagens no período. Os agentes efetuaram ainda 17 remoções de veículos ao depósito, autuaram 22 pessoas por alcoolemias e emitiram 24 multas.

O Instituto Brasília Ambiental atuou em 62 fiscalizações em bares e distribuidoras e apreendeu três caixas de som, que não estavam em conformidade com as regras de poluição sonora. A Secretaria DF legal fiscalizou quatro estabelecimentos e aplicou uma notificação.

Nas ações de promoção da cidadania, foram registrados 1.870 atendimentos nos primeiros cinco dias de ação, por meio da oferta de serviços, realização de palestras, oficinas e ações educativas | Foto: Divulgação/SSP

Limpeza da cidade

Por meio das ações do GDF Presente e da administração local, foram recolhidas 280 toneladas de entulhos, inservíveis e restos de poda e outras 15 toneladas de material triturado para melhoramento da estrada de acesso a Cabeceira do Valo. As equipes recolheram 55 pneus abandonados e implementaram o estacionamento no 15º PBM, dentro do Centro Olímpico. A praça de quiosques no Setor Leste e a Feira Permanente foram lavadas.

“Precisávamos dar essa atenção especial à Estrutural. Essas ações têm sido primordiais para o desenvolvimento da nossa cidade. Estou nas ruas diariamente e percebo a satisfação dos moradores”Vania Gurgel, administradora regional do SCIA/Estrutural

A Unidade de Políticas Públicas (UPP), da SSP, fez a identificação prévia de desordens – como lixo e entulho descartados incorretamente, mato alto e falta de iluminação adequada – e encaminhou à administração regional para facilitar a eficácia das ações, como afirma o chefe da UPP, coronel Eduardo Holanda: “O mapeamento de desordens prioritariamente sobre os locais de manchas criminais é uma ferramenta apta a contribuir, em alguma medida, para a redução da criminalidade e da sensação de insegurança no DF”.

Para a administradora regional do SCIA/Estrutural, Vânia Gurgel, a população tem percebido os efeitos de maior policiamento e demais ações. “Precisávamos dar essa atenção especial à Estrutural”, afirma. “Essas ações têm sido primordiais para o desenvolvimento da nossa cidade. Estou nas ruas diariamente e percebo a satisfação dos moradores”.

Quase 2 mil atendimentos

As ações voltadas para o atendimento ao público e promoção de cidadania estão previstas durante os três meses de vigência da ASP na Estrutural. A programação, definida pela Subsecretaria de Prevenção à Criminalidade (Suprec), da SSP, é dividida em três blocos: atendimento à população, projetos sociais e ocupação de espaços. Cada um dos eixos terá duração de cerca de um mês.

Entre os dias 22 e 26 deste mês, cerca de 650 pessoas passaram pelos estandes montados em frente à Administração Regional da Estrutural. “Estamos satisfeitos com o resultado da primeira semana da ASP. Foram 1.870 atendimentos à comunidade da Estrutural nos primeiros cinco dias de ação, por meio da oferta de serviços, realização de palestras, oficinas e ações educativas. Antes de definir a programação, fizemos um estudo sobre as necessidades da região e é gratificante perceber a adesão da comunidade local e que conseguimos captar a demanda dos moradores“, comemora a coordenadora de Políticas Sociais da SSP, Marina Fernandes.

 

*Com informações da SSP