3/8/21 19:23
Atualizado em 3/8/21 às 21:07

Beneficiários do ‘Prato Cheio’ ganham cartilha

Elaborado por nutricionistas da Sedes, material ajuda usuários na busca de uma alimentação saudável e econômica

Todos sabem que as frutas da estação são mais baratas, que os alimentos não processados são os mais recomendados e que a composição de um prato deve ser bem variada. Porém, como encontrar as frutas da estação, quais são os alimentos processados, como montar um bom prato e, principalmente, como encaixar isso no orçamento?

As respostas para essas e outras perguntas estão no documento Educação alimentar e nutricional para beneficiários do Programa Prato Cheio, publicação disponível no site da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes). “O objetivo é levar conhecimento a quem está inserido no programa, mas também a quem busca uma alimentação mais saudável com economicidade”, explica a subsecretária de Segurança Alimentar e Nutricional, da Sedes, Karla Lisboa.

O documento pode ser acessado na página da Sedes, que também emitirá mensagens informativas aos usuários | Arte: Divulgação/Sedes
“Recomendamos que o consumidor valorize e dê preferência ao comércio local, ao pequeno e microempresário, fomentando e aquecendo a economia de sua região” Mayara Noronha Rocha, secretária de Desenvolvimento Social

A Sedes vai enviar mensagens telefônicas gravadas e via SMS com essas informações aos usuários, adianta a subsecretária. A cartilha e as mensagens foram elaboradas pelas nutricionistas da secretaria com base nas recomendações do Guia Alimentar para a População Brasileira do Ministério da Saúde e adaptadas após pesquisa do Núcleo de Estudos Epidemiológicos em Saúde e Nutrição, da Universidade de Brasília (UnB).

Uma das orientações que pode gerar mais economia para o cidadão está na página 20 do documento. A equipe de especialistas montou uma tabela de hortaliças e outra de frutas, identificando o período em que ocorre a época de cada uma delas, ou seja, quando podem ser adquiridas a preços menores.

“Estamos falando de planejamento financeiro e nutricional para as compras”, reforça a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha. “O cidadão ganha, com isso, autonomia na escolha dos alimentos com vistas à adoção de hábitos alimentares mais saudáveis. Recomendamos ainda que o consumidor valorize e dê preferência ao comércio local, ao pequeno e microempresário, fomentando e aquecendo a economia de sua região.”

Nas próximas semanas, será implantado o programa Cartão Gás, projeto já enviado pelo Governo do Distrito Federal (GDF) à Câmara Legislativa. A iniciativa vem para reforçar a questão da segurança alimentar e nutricional de quem mais precisa.

Acesse, na página da Sedes, o link para a cartilha.

Pagamento

Nesta terça-feira (3), 34.889 beneficiários do programa Prato Cheio tiveram o crédito de R$ 250 depositado em suas contas. Cerca de três mil desses usuários são recém-incluídos no programa. Os recursos investidos neste mês são da ordem de R$ 8.772.250.

 

*Com informações da Secretaria de Desenvolvimento Social