10/8/21 19:59
Atualizado em 10/8/21 às 20:10

Menos emissão de gases poluentes pelo setor de transporte

Sema e Semob vão assinar Termo de Cooperação Técnica em prol do meio ambiente

O setor de transportes rodoviários está em primeiro lugar no ranking das principais fontes de emissão de gases causadores do efeito estufa no Distrito Federal. Pensando em fazer frente às mudanças do clima, o secretário de Meio Ambiente, Sarney Filho, se reuniu com o titular da pasta de Transporte e Mobilidade (Semob), Valter Casimiro, para alinhar as políticas públicas executadas por ambas as pastas. Em breve, as duas secretarias irão assinar um Termo de Cooperação Técnica para oficializar o trabalho conjunto. O encontro ocorreu nesta terça-feira, (10), na sede da Semob.

Os titulares da Semob e da Sema, Valter Casimiro e Sarney Filho, respectivamente, alinharam as políticas para reduzir os impactos do efeito estufa | Foto: Divulgação

“Quando se fala em meio ambiente não é mais possível não levar em conta as mudanças climáticas. Nosso interesse é avaliar parâmetros ambientais de projetos da Semob, disponibilizando o conhecimento técnico da Sema e projetos em andamento”, afirma Sarney Filho.

De acordo com o secretário da Semob, Brasília já dispõe de parte de sua frota de transporte público movida a biodiesel. E passou por consulta pública o escopo de um projeto para implantação de um sistema de transporte, no Plano Piloto de Brasília, ligando os terminais das asas Sul e Norte, passando pela via W3, utilizando a tecnologia do Veículo Leve sobre Trilho (VLT) e sua extensão até o aeroporto. A proposta inclui ainda a implantação de um sistema de circulação para bicicletas e pedestres entre as quadras 600 e as 900, de acordo com o Decreto n° 39.613/2019, o que deve reduzir ainda mais as emissões veiculares.

“A licitação deve ser publicada em 2022 e junto a projetos de estacionamento público, o Zona Verde e de compartilhamentos de bicicletas, poderemos diminuir o uso do transporte individual e aumentar o coletivo”, afirma Casimiro. Ele lembrou que ainda não é possível, por causa de questões de infraestrutura, trocar toda a frota do DF por veículos movidos a biocombustível, mas que isso será feito em pelo menos metade dela, começando pelo Plano Piloto.

Inventário

Além do setor de transportes, a indústria do cimento, o tratamento de resíduos e alterações no uso do solo são as outras variáveis que mais influem na emissão de gases do efeito estufa no DF. Os dados estão no Inventário do Distrito Federal de Emissões Antrópicas por Fontes e Remoções por Sumidouros do Distrito Federal (2005/2018), divulgado em janeiro deste ano. O documento traz a revisão, ajuste e atualização do Inventário de 2005 a 2012, realizado pela Sema.

 

*Com informações da Sema