14/8/21 14:00
Atualizado em 14/8/21 às 14:00

Plano Nacional de Testagem para a covid-19 começa pelo DF

Nova estratégia de prevenção e enfrentamento à pandemia foi lançada neste sábado (14) em Brasília

O Distrito Federal foi a unidade da federação escolhida pelo Ministério da Saúde para abrir o Plano Nacional de Testagem para a covid-19.  O lançamento ocorreu neste sábado (14), no estacionamento da Feira do Importados, com a presença do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, da ministra-Chefe da Secretaria de Governo da Presidência, Flávia Arruda, da representante da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas/OMS) no Brasil, Socorro Gross e do secretário de Saúde do DF, Osnei Okumoto e outras autoridades de Saúde que participam do enfrentamento da pandemia do novo coronavírus.

O Plano Nacional de Testagem para a covid-19 do Ministério da Saúde, que teve início em Brasília, será implementado em todo Brasil. Foram coletadas 200 amostras de antígeno para a ação de lançamento do projeto. O local foi escolhido foi devido ao grande fluxo de pessoas que circulam pela região.

A expectativa é de que, até o final de agosto, sejam distribuídos 4 milhões de testes a todos os estados e municípios do Brasil | Foto: Geovana Albuquerque / Agência Saúde

No discurso de lançamento do plano, o ministro Marcelo Queiroga fez um agradecimento ao Governo do Distrito Federal por fornecer a estrutura ao projeto.

Queiroga afirmou que, com a nova estratégia, será possível acompanhar as possíveis evoluções da pandemia de forma preventiva e detalhada.

“A estratégia de testagem não se prende a realizar o exame, nós temos que receber este resultado na base de dados do Ministério da Saúde para acompanharmos o caráter epidemiológico da pandemia, se os casos estão aumentando ou não, de uma forma mais eficiente. Portanto, o que vamos realizar hoje em Brasília será um modelo do que será feito no Brasil”, afirmou Queiroga.

No lançamento, o secretário de Saúde do Distrito Federal, Osnei Okumoto, reforçou a importância da testagem no momento em que surgem novas variantes do vírus SarsCoV-2. “Através da testagem a gente pode determinar quais pessoas devem procurar o sistema hospitalar e quais devem fazer a internação domiciliar. Apesar desta ser uma ação piloto, nós já temos todo fluxo estabelecido. Realizar a testagem é muito importante, principalmente neste momento, em que temos diversas variantes em circulação no país”, afirmou Osnei

Os testes são produzidos pela Fundação Fiocruz. A expectativa é de que, até o final de agosto, sejam distribuídos 4 milhões de testes a todos os estados e municípios do Brasil. A primeira fase do plano prevê a testagem de mais de 60 milhões de brasileiros.

*Com informações da Secretaria de Saúde