28/8/21 9:59
Atualizado em 28/8/21 às 10:11

Meio ambiente ganha mais espaço com inovação tecnológica

Sema apoia criação do Radis Cerrado, aplicativo voltado à regularização ambiental

A inovação tecnológica está se consolidando como frente de atuação do Governo do Distrito Federal (GDF) para a integração das políticas socioambientais. A opinião é do titular da Secretaria de Meio Ambiente (Sema), Sarney Filho, que participou do webinário “Diálogos do Cerrado: restauração e monitoramento” e do lançamento do aplicativo Radis Cerrado. “A ferramenta vem contribuir na construção do caminho para uma gestão ambiental mais transparente e participativa”, afirmou.

O aplicativo foi desenvolvido pelo Centro de Gestão e Inovação da Agricultura Familiar da Universidade de Brasília (Cegafi/UnB) e da Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec), com apoio da Sema, Brasília Ambiental, Embrapa, Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB), CEPF Cerrado e Rede Bartô.

“A ferramenta vem contribuir na construção do caminho para uma gestão ambiental mais transparente e participativa”Sarney Filho, secretário do Meio Ambiente

Para o coordenador do Fundo de Parcerias para Ecossistemas Críticos (CEPF Cerrado), Michael Becker, os agricultores de pequeno, médio e grande porte terão no Radis uma possibilidade a mais para monitorar os esforços de restauração. “A ferramenta vai ajudar na implementação do Novo Código Florestal, facilitando a aplicação da lei e o seu cumprimento”, completou.

O objetivo do Radis Cerrado, disponível em sistema android, é promover e fortalecer as cadeias produtivas associadas ao uso sustentável dos recursos naturais e restauração ecológica, apoiando, dessa forma, processos de recomposição da vegetação e regularização ambiental.

Por meio do Radis, será possível realizar a coleta de dados de indicadores ecológicos para o monitoramento da recomposição nativa, conforme normas do Distrito Federal e dados socioprodutivos voltados para pequenos agricultores e populações tradicionais. O projeto também prevê a abertura de portal para sistematização de dados de regularização ambiental.

Também participaram dos debates o pesquisador da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, Daniel Vieira, o deputado e coordenador da Frente Parlamentar Ambientalista do Congresso Nacional, Rodrigo Agostinho, e o advogado e ambientalista, André Lima.

Sisdia

Na oportunidade, o secretário ofereceu apoio da Sema para que o projeto Radis Cerrado interaja com o Sistema Distrital de Informações Ambientais (Sisdia), que fornece acesso às informações e recursos do sistema, que já estavam disponíveis para diversos órgãos parceiros.

O Sisdia é uma plataforma de inteligência ambiental-territorial desenvolvida pela Secretaria do Meio Ambiente, visando à sustentabilidade no Distrito Federal. “O portal, por sua vez, foi planejado para promover a comunicação entre governo e sociedade. Outros estados possuem bancos de dados espaciais ambientais, mas o GDF é pioneiro na construção de um portal aberto a qualquer cidadão”, afirmou.

Proteção

Sarney Filho explica que a Sema atua de acordo com a necessidade de concentrar esforços para a proteção de nascentes e mananciais, recuperação da vegetação nativa visando a uma maior disponibilidade hídrica, implantação de sistemas agroflorestais, educação ambiental e capacitação técnica para que os agricultores utilizem de boas práticas, que valorizam a produção ao tempo que diminuem o consumo de água. “Do mesmo modo, temos subsídios mais robustos para a orientação de novas realizações, como o desenvolvimento de sumidouros de carbono”.

 

*Com informações da Secretaria do Meio Ambiente