11/9/21 18:09
Atualizado em 11/9/21 às 19:09

Brasília Ambiental comemora Dia do Cerrado

Instituto destacou a importância do bioma com atividades no Centro de Referência em Educação Ambiental do Parque Ecológico Águas Claras

O Instituto Brasília Ambiental celebrou na manhã deste sábado (11) o Dia Nacional do Cerrado com uma série de atividades em homenagem ao bioma, no Centro de Referência em Educação Ambiental do Parque Ecológico Águas Claras. A iniciativa, que integra a Semana do Cerrado, coordenada pela Secretaria do Meio Ambiente (Sema), contou com as presenças do presidente do Instituto, Cláudio Trinchão e do secretário de Meio Ambiente (Sema), José Sarney Filho, entre outras autoridades.

No Parque Ecológico Águas Claras foi possível observar a céu aberto as exposições A Natureza É… e Nosso DF através de Mapas | Foto: Divulgação/Brasília Ambiental

Quem foi celebrar o Dia do Cerrado no parque teve a oportunidade de participar de atividade de automassagem, contação de história, ver a exposição de maquetes topográficas de Unidades de Conservação, participar da doação de publicações ecopedagógicas e da divulgação sobre o concurso fotográfico Eu Amo o Cerrado.

Além disso, também foi possível observar a céu aberto as exposições A Natureza É… e Nosso DF através de Mapas, além de poder ouvir a palestra Como a filosofia pode auxiliar no desenvolvimento sustentável.

“O Dia do Cerrado tem o objetivo de proporcionar que as pessoas conheçam o bioma, porque quem conhece protege. Precisamos conhecer o Cerrado e quando o defendemos, defendemos a qualidade de vida das futuras geraçõesSarney Filho, secretário do Meio Ambiente

Renato Luís, presidente do grupo de escoteiros Ave Branca, destacou que a importância do Dia do Cerrado está em trazer os holofotes para o bioma. “Vivemos no ambiente deste bioma e é muito importante para o movimento dos escoteiros colaborar com a divulgação dele para que a comunidade tenha cada vez mais consciência que, além da preservação, o desenvolvimento do Cerrado é muito importante”. O grupo de escoteiro atua há mais de 30 anos no Parque Ecológico Águas Claras e conta hoje com 150 membros.

Já o presidente do Brasília Ambiental, Cláudio Trinchão, destacou a importância do órgão ambiental para a sociedade e para a preservação do cerrado brasileiro. Lembrou que a autarquia ambiental tem entre suas atribuições administrar 82 Unidades de Conservação (UC’s), além de fiscalizar e licenciar ambientalmente várias atividades.

Ele também reforçou a importância e o compromisso do servidor público da área ambiental. “A equipe é qualificada, envolvida e muito comprometida. Apesar das dificuldades, como na pandemia da covid-19, em nenhum momento deixou de fazer suas entregas. O principal patrimônio de qualquer organização são as pessoas, os servidores”, enfatizou.

Trinchão listou várias das entregas feitas pelo órgão, entre elas, a criação da Diretoria de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais (DPCIF) e o aumento no número de brigadistas contratados. Ações que resultaram na redução de 50% nas áreas queimadas dos parques e UCs no ano passado e que está produzindo igual resultado este ano.

Importância e defesa

O secretário Sarney Filho ressaltou que a área ambiental tem um compromisso com o futuro. “O Dia do Cerrado, hoje comemorado, tem o objetivo de proporcionar que as pessoas conheçam o bioma, porque quem conhece protege. Precisamos conhecer o Cerrado e quando o defendemos, defendemos a qualidade de vida das futuras gerações”.

Sarney Filho enfatizou ainda que o bioma vive um momento muito importante, visto que uma das primeiras consequências das mudanças climáticas, no Brasil, tem sido a escassez hídrica e o cerrado é um produtor de água.

Quando plantamos mudas de plantas nativas do Cerrado, de certa forma, é água que estamos produzindo”Rosa de Lima, voluntária no Parque Águas Claras

“Brasília teve uma crise hídrica há quatro anos. Embora hoje os nossos reservatórios nos deem a tranquilidade de que não haverá falta de água para o consumo humano, este ano e no próximo, temos que nos lembrar da crise recente e que, segundo o Inventário do Clima, as coisas tendem a piorar. Por isso, temos que cada vez mais cuidar dos serviços ecossistêmicos que o cerrado presta. É a savana mais biodiversa do mundo”, afirmou.

Na oportunidade, tanto Cláudio Trinchão como Sarney Filho foram homenageados com placas do Dia do Cerrado pela Associação de Servidores do Instituto Brasília Ambiental (Asibram).

O potencial hídrico do Cerrado também foi lembrado pela coordenadora do grupo de voluntários, Rosa de Lima Coalho, que presta ação no Parque Águas Claras. “Cerrado tem importância enorme não só para o Brasil, mas para o mundo porque é aqui que se encontram as nascentes das grandes bacias brasileiras. Quando plantamos mudas de plantas nativas do Cerrado, de certa forma, é água que estamos produzindo”, disse.

 

*Com informações do Brasília Ambiental