4/12/21 16:42
Atualizado em 4/12/21 às 17:58

Praça Central do Paranoá terá parquinho com acessibilidade

Espaço está em obras e vai contar com brinquedos e piso adaptados para inclusão de toda a criançada

Parte da obra de reconstrução da Praça Central do Paranoá, o parquinho conta com brinquedos modernos e totalmente adaptados, inclusive para deficientes físicos | Fotos: Renato Araújo/Agência Brasília

Está prevista ainda para esta primeira quinzena de dezembro a entrega de mais uma etapa da reconstrução da Praça Central do Paranoá. Desta vez, as crianças serão as beneficiadas diretas das obras. Elas ganharão um parquinho com brinquedos modernos e totalmente adaptados, inclusive para deficientes físicos.

O parquinho faz parte da obra de reconstrução da Praça Central do Paranoá. A primeira etapa dos serviços foi destinada a refazer a fonte, o coreto e construir a guarita de segurança do parque. Os três equipamentos custaram R$ 260 mil. Antes de começar a reconstrução do parquinho, foi testado o interesse das crianças pelo equipamento.

“Observamos que os pequenos cadeirantes ficavam com muita vontade de brincar e não podiam. Daí veio a ideia de fazer um parque com acessibilidade e adaptável”Sergio Damaceno, administrador do Paranoá

“Nós colocamos um parquinho para servir de teste na praça. A aceitação foi tão grande que as crianças faziam fila para usar os brinquedos. Também observamos que os pequenos cadeirantes ficavam com muita vontade de brincar e não podiam. Daí veio a ideia de fazer um parque com acessibilidade e adaptável”, explicou o administrador regional do Paranoá, Sergio Damaceno.

Segundo Damaceno, os brinquedos que farão parte do parque permitem que cadeiras de rodas sejam adaptadas a eles. O piso utilizado na obra será monolítico – sem rejuntes ou emendas –, para evitar tropeços e quedas.

A Praça Central do Paranoá foi criada em 1995. De lá para cá passou por várias fases, indo da beleza e criatividade, com uma fonte, até um período de decadência, com o espaço ocupado por usuários de drogas, que afastavam boa parte da comunidade. Sergio Damaceno destaca que encontrou a praça completamente abandonada. “Para evitar a proliferação do mosquito da dengue, administrações passadas entupiram os canos da fonte com cimento. Tivemos que refazer a fonte”, afirma.

Ester Ribeiro, que mora a quase 20 km de distância da Praça Central, gosta de levar os filhos para brincar no local. Segundo ela, antes o lugar era perigoso e não dava para frequentar

Os moradores do Paranoá e dos arredores estão acompanhando a reforma da praça. Ester Ribeiro, 29 anos, moradora do Núcleo Rural Sobradinho dos Melos, a 19,5 km do Paranoá, é mãe de duas crianças e garante que, apesar da distância, gosta de levar seus filhos para brincar na praça reformada. “Para quem tem criança, é muito bom poder trazê-las aqui para brincar. Antes não dava para usar, era um lugar bem violento”, destaca.

A opinião de Ester é a mesma de Daiane Barros, 36 anos. “Antes, essa praça era toda quebrada, inclusive os bancos. O espaço era ocupado por usuários de drogas, era violento. Hoje está ótimo, dá para vir até de noite. Eu e minhas amigas viemos. A iluminação é boa. Quem gosta de frequentar os bares que tem aqui em volta pode ir lá e, depois, ficar aqui conversando um pouco”.

Galeria de Fotos

Praça Central do Paranoá terá parquinho com acessibilidade