Fale com o Governo Ações em Destaques

24/6/22 às 14:12, Atualizado em 24/6/22 às 16:40

Unidades de assistência social terão reforço na segurança

Secretaria de Desenvolvimento Social quer ouvir os servidores para um plano de ação que possa evitar situações de violência e de constrangimento ao público e aos profissionais

Agência Brasília* | Edição: Saulo Moreno

“É uma forma de a gestão conhecer melhor o perfil de cada local e preparar um plano de ação eficiente e adequado à realidade da região, que garanta segurança ao cidadão e aos profissionais da assistência social” Mayara Noronha Rocha, secretária de Desenvolvimento Social

A Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) quer ouvir os servidores para reforçar a segurança nas unidades socioassistenciais do Distrito Federal. Foi enviado para todos os e-mails institucionais um questionário para que eles possam dar opinião, falar do seu ambiente de trabalho e compartilhar experiências. O questionário também está disponível na intranet.

“É uma forma de a gestão conhecer melhor o perfil de cada local e preparar um plano de ação eficiente e adequado à realidade da região, que garanta segurança ao cidadão e aos profissionais da assistência social”, destaca a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha.

O objetivo da medida é estabelecer procedimentos de segurança padronizados a serem adotados em todas as unidades da Sedes para prevenir crimes, situações de violência e constrangimento ao público e ao servidor | Foto: Divulgação / Sedes-DF

A ideia é estabelecer procedimentos de segurança padronizados a serem adotados em todas as unidades da Sedes para prevenir crimes, situações de violência e constrangimento ao público e ao servidor.

“Os servidores terão um mês para responder ao questionário. Enviamos também uma circular aos gestores das unidades para que eles mobilizem os servidores da ponta. Com base no resultado desse questionário, vamos avaliar e propor as ações”, explica Leandro dos Santos Abreu, coordenador do grupo de trabalho criado pela Sedes para formular o novo Programa de Segurança e Proteção das unidades socioassistenciais.

O grupo é formado por 12 servidores, entre profissionais da área e que trabalham nas regiões, no atendimento direto ao cidadão. Além do questionário, o grupo de trabalho já iniciou visitas técnicas às unidades  para avaliar a estrutura física e tem realizado levantamento e avaliação das ocorrências de violência nas unidades ocorridos nos últimos dois anos.

“Vamos fazer um diagnóstico com base em todas essas informações e traçar um plano de ação adequado e viável de implantação. A expectativa é que o programa de segurança das unidades socioassistenciais seja implementado ainda neste ano”, ressalta Leandro Abreu.

Entre as medidas que deverão ser propostas, segundo ele, estão possíveis ações intersetoriais com outras áreas do Governo do Distrito Federal, como saúde e segurança.

*Com informações da Sedes-DF

Últimas Notícias