Fale com o Governo Ações em Destaques

4/10/22 às 17:28, Atualizado em 10/10/22 às 14:44

Servidores da segurança pública se formam em curso de Libras

Capacitação visa preparar os profissionais para atender e acolher pessoas surdas. Foram formados 56 servidores na parceria entre GDF e IFB

Adriana Izel, da Agência Brasília | Edição: Claudio Fernandes

Brasília, 21 de setembro de 2022 – Visando melhorar a comunicação e a acessibilidade do público atendido por profissionais de órgãos e forças de segurança pública do Distrito Federal, 56 servidores da Secretaria de Segurança Pública (SSP) foram capacitados em Língua Brasileira de Sinais (Libras). Com duração de 100 horas distribuídas em oito meses, o curso intermediário é fruto de um acordo de cooperação com o Instituto Federal de Brasília (IFB).

Servidores da segurança pública tiveram 100 horas de curso distribuídas em oito meses. Diplomas foram entregues nesta quarta (21) | Fotos: Tony Oliveira/Agência Brasília

“Essa parceria viabilizou que nós pudéssemos proporcionar a capacitação aos servidores da Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Detran, Defesa Civil, Casa Militar e Secretaria de Segurança Pública, possibilitando que os servidores possam se comunicar com pessoas surdas”, afirma o secretário de Segurança Pública, Júlio Danilo Souza Ferreira.

O secretário de Segurança Pública, Júlio Danilo Souza Ferreira, afirma que a intenção é formar novas turmas

A formação vai ampliar a capacidade de atendimento das forças de segurança e seguir as recomendações do Ministério Público, da Defensoria Pública e da Câmara Legislativa para que a segurança pública viabilizasse atendimento especial para pessoas com deficiência. “Com essa ação, o GDF cumpre parte do seu dever. Agora, a nossa intenção é formar novas turmas e também possibilitar que as próprias corporações possam incluir nos seus currículos de formação básica”, completa o secretário.

Multiplicação do conhecimento

Os 56 profissionais que participaram do curso se formaram em solenidade nesta quarta-feira (21) no Auditório do Detran. Essa é apenas a primeira fase do acordo. O próximo passo consiste na elaboração de uma cartilha com símbolos fundamentais para situações de atendimento comuns aos órgãos. O material será construído com auxílio dos formandos.

Coordenador de Ensino na Secretaria de Segurança Pública, o tenente-coronel André Telles explica que alguns dos formandos vão desenvolver um glossário de sinais

“Agora, esses serão multiplicadores dentro das forças. Desses 56, selecionamos alguns que mais se destacaram para mapear situações de atendimento à comunidade surda e desenvolver um protocolo, que é um glossário mínimo de sinais, que todos os membros das forças vão tomar conhecimento”, adianta o tenente-coronel André Telles, coordenador de Ensino na Secretaria de Segurança Pública. A previsão é de que seja criado um curso no formato EAD para difusão do conteúdo de Libras.

O curso de formação e contextualização em Língua Brasileira de Sinais para servidores da Segurança Pública é mais uma parceria do Governo do Distrito Federal com o IFB, que também já capacitou profissionais da Secretaria de Saúde.

A reitora do IFB, Luciana Miyoko Massukado, destaca que o acordo de cooperação permitirá um atendimento mais qualificado à comunidade surda

“Esse acordo de cooperação faz com que a gente faça a formação desses profissionais para que eles possam dar um primeiro atendimento mais qualificado à comunidade surda e, com isso, a gente vai trazendo mais inclusão para dentro do nosso Distrito Federal”, comenta a reitora do IFB, Luciana Miyoko Massukado.

A servidora do Detran Cynthia Leal Matos Rocha acredita que todo servidor deveria aprender Libras: “Meu intuito é continuar me capacitando”

Servidora do Detran, a técnica em atividades de trânsito Cynthia Leal Matos Rocha foi uma das estudantes do curso. Ela diz que se interessou na capacitação devido à importância do conhecimento para quem trabalha diretamente com o público. “Uma vez eu recebi uma pessoa surda e, se não fosse um colega intermediando, a comunicação teria sido muito difícil. Essa possibilidade de me comunicar em Libras tem sido uma experiência muito válida”, comenta.

Para Cynthia, a formação é de extrema importância para os servidores. “Acho que todo servidor tinha que aprender. O curso me permitiu uma experiência bacana: a oportunidade de ajudar o primeiro examinador surdo na Escola Pública de Trânsito”, afirma. A ideia da técnica agora é continuar estudando a língua. “Libras é um universo imenso. Meu intuito é continuar me capacitando para não perder o aprendizado”, completa.

Servidores da segurança pública se formam em curso de Libras

Últimas Notícias