Fale com o Governo Ações em Destaques

15/10/22 às 19:11, Atualizado em 16/10/22 às 09:37

Vacinação contra pólio atinge 47% do público-alvo

Até este sábado (15), 76.699 crianças se imunizaram contra a doença. Vacina da covid também foi ofertada, mas sem muita adesão

Agência Brasília* | Edição: Renata Lu

Moradores de Taguatinga, os pais Renato Bittar, 35, e Denise Campos, 36, levaram o pequeno João Vitor Campos Bittar, 2, para tomar a vacina contra a poliomielite na Unidade Básica nº 6, da região administrativa. “Fica a 10 minutos de casa, mas durante a semana fica corrido para levar”, declarou a mãe. “É uma doença que traz sequelas muito graves e a gente não podia deixar nosso filho sem”, completou Bittar.

Renato e Denise levaram o pequeno João Vitor para se vacinar | Sandro Araújo/Agência Saúde

João Vitor é um dos 76.699 imunizados contra poliomielite no Distrito Federal, o que equivale a apenas 47,85% das crianças de 1 a 5 anos incompletos. A meta da campanha é atingir 95% do público-alvo.

Para reforçar a imunização dos moradores do Distrito Federal, a Secretaria de Saúde disponibilizou, neste sábado (15), 22 pontos para multivacinação e testagem contra a covid-19, sendo 17 pontos fixos e cinco de vacina itinerante. Até as 17 horas, foram ofertadas à população imunizantes como tríplice viral, pólio, tétano, febre amarela e influenza. Também foi disponibilizada a vacina contra a covid-19 para primeira dose, segunda dose e os reforços.

“Nós estamos vendo uma geração que não teve contato com os efeitos da paralisia infantil, justamente por estar vacinada, mas estamos sob o risco diante dos baixos índices de imunizados” Adriano de Oliveira, coordenador substituto da Atenção Primária à Saúde

Pensando nos riscos da doença, a dentista Élida Silva de Araújo, 36, fez questão de completar toda a caderneta de vacinação da filha, Helena Araújo, de 1 ano e 9 meses. “Às vezes a gente acha que a criança já está imunizada, mas falta algum reforço. O pediatra dela me orientou a vir”, explica.

O coordenador substituto da Atenção Primária à Saúde, Adriano de Oliveira, reforça que o ideal é a família pedir a um profissional de saúde para conferir a caderneta de vacinação e assim atualizar algum imunizante, caso esteja faltando. “As UBSs estão abertas todos os dias da semana, e manteremos esse esforço aos sábados também para que a população possa procurar e o DF tenha tranquilidade no controle das doenças”,  ressalta Adriano.

“Nós estamos vendo uma geração que não teve contato com os efeitos da paralisia infantil, justamente por estar vacinada, mas estamos sob o risco diante dos baixos índices de imunizados”, destaca.

| Sandro Araújo/Agência Saúde
A dentista Élida Silva de Araújo, 36, fez questão de completar toda a caderneta de vacinação da filha, Helena Araújo, de 1 ano e 9 meses| Sandro Araújo/Agência Saúde

Busca Ativa

Neste sábado, a Secretaria de Saúde ainda organizou ações para ir em busca de quem está com a imunização atrasada contra a covid-19. Cinco Carros da Vacina percorreram ruas e estradas de regiões urbanas e rurais onde há baixos índices de vacinação. Os veículos estiveram no Condomínio Privê (Ceilândia), Vale do Amanhecer (Planaltina), Paranoá, Santa Maria e Estrutural.

Durante a semana, os imunizantes estão disponíveis em mais de 100 locais de vacinação. Esses locais são atualizados diariamente e podem ser acessados neste link: https://www.saude.df.gov.br/locaisdevacinacao

*Com informações da Secretaria de Saúde

Últimas Notícias