Notícias

24/8/11 3:00

Aberto 1º Cras do P Sul

Governador Agnelo Queiroz inaugurou o Centro de Referência de Assitência Social do setor, que atenderá mensalmente 15 mil famílias do P Sul e dos condomínios Sol Nascente e Pôr do Sol

Suzano Almeida, da Agência Brasília

O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, inaugurou nesta quarta-feira o primeiro Centro de Referência e Assistência Social (Cras) do setor P Sul de Ceilândia (EQNP 12/16). Nele, serão atendidos moradores do próprio setor e dos condomínios Sol Nascente e Pôr do Sol. A estimativa é atender, por mês, 15 mil famílias em situação de vulnerabilidade social.

“Essa população é a que mais precisa se aproximar da nossa política de assistência. Dessa forma estamos aproximando o Estado e os órgãos de governo, para desenvolvermos nossas políticas de desenvolvimento humano e distribuição de renda e de combate à pobreza extrema, por meio do Programa DF Sem Miséria”, declarou Agnelo Queiroz.

O Centro de Referência de Assistência Social – coordenado pela Secretaria de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda (Sedest) – realiza atendimento psicossocial para a população, por meio do trabalho especializado de psicólogos e assistentes sociais. Também é atribuição do Cras acompanhar famílias participantes do Programa Bolsa Família e do benefício de Proteção Continuada.

O Cras do P Sul contará com equipe especializada de 11 profissionais: dois educadores sociais, três funcionários da área administrativa, dois assistentes sociais, três agentes sociais e um psicólogo.

Recadastramento – Durante o evento, a secretária de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda, Arlete Sampaio, anunciou que a Sedest iniciará em 1º de setembro o recadastramento dos beneficiados por programas de distribuição de renda dos governos federal e local. A partir deste trabalho serão identificadas as famílias que recebem mais de um benefício, ou que não pertencem ao corte de renda atendido pelos programas sociais.

Segundo a secretária, no DF são atendidas mais de 167 mil famílias, mas não se sabe ao certo quantas delas ainda deveriam estar recebendo os benefícios. Outro problema encontrado são as 10.531 famílias que deveriam ter se recadastrado ainda no ano passado e que agora correm o risco de serem descredenciadas dos programas.

“Temos que correr para que a situação dessas famílias seja atualizada e elas continuem recebendo o benefício. Da mesma forma, vamos em busca das 167 mil famílias para atualizar os cadastros, para que, de fato, ao final desse período, nós tenhamos um cadastro único confiável e a certeza de que as pessoas que realmente precisam estão recebendo a transferência de renda”, afirmou a secretária Arlete Sampaio.

Programas e Serviços – Este é o terceiro Cras entregue pela atual gestão do GDF em 2011. Antes foram inaugurados os de Sobradinho II e da Estrutural. Agora, o DF conta ao todo com 27 unidades. Os centros oferecem serviços e programas para melhorar as condições de vidas das pessoas, e com isso, promover a inclusão social, garantir o efetivo exercício da cidadania e reduzir as desigualdades.

Os Cras oferecem serviços como: Programa de Atendimento Integral à Família (PAIF), Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos para Crianças e Adolescentes, Serviço de Convivência Geracional e Intergeracional, Família Acolhedor e Mestre do Saber, entre outros.

Também participaram da inauguração do Cras do P Sul os secretários Particular do governador, Bolivar Rocha; de Publicidade, Abimael Nunes; de Defesa Civil, Paulo Matos; de Esporte, Célio Renê, e da Juventude, Fernando Nascimento; os deputados distritais Chico Vigilante e Luzia de Paula, além do administrador Regional de Ceilândia, Aridelson de Almeida, entre outras autoridades e lideranças comunitárias.

00014600

24/8/11 3:00

DF ganha programa de Mobilidade Urbana

Governador anunciou, em Ceilândia, como vai funcionar novo sistema de transporte público do Distrito Federal. Medidas incluem reforma e construções de terminais rodoviários, renovação da frota e monitoramento eletrônico dos veículos para evitar atrasos