Fale com o Governo Ações em Destaques

31/12/15 às 11:18, Atualizado em 10/6/16 às 10:11

Mais terminais rodoviários e melhor organização de itinerários em 2015

Transporte público passou por alterações nas linhas para ampliar o atendimento. Quatro regiões, entre elas o Gama, ganharam novas estações

Gabriela Moll, da Agência Brasília

. Foto: Andre Borges/Agência Brasília – 22.12.2015

Mudanças no modelo de transporte público, realização de obras de infraestrutura, aumento de linhas do Expresso Sul e reforço na fiscalização foram algumas das ações voltadas à melhoria da mobilidade no Distrito Federal em 2015.

Quem usa coletivos em Ceilândia, no Gama, no Riacho Fundo II e em Sobradinho II foi contemplado com terminais rodoviários. Outros 13, atualmente em obras, têm previsão de entrega em 2016. Quatro deles estão sendo construídos — dois no Recanto das Emas e dois em Samambaia.

Os 700 mil passageiros do transporte coletivo contam com 1.098 linhas, operadas por 3.215 ônibus, que rodam 24 milhões de quilômetros. Registram-se mais de 25 milhões de viagens por mês.
Além desses, nove passam por melhorias: Cruzeiro Novo, Guará I, Guará II, M Norte, Núcleo Bandeirante, Paranoá, Planaltina, P Sul e Taguatinga Sul. O valor total gasto até o momento com as reformas e com as novas unidades foi de R$ 34.953.898,90, oriundos de contrato firmado em 2008 com o Banco Interamericano de Desenvolvimento.

Uma reorganização de linhas, aplicada no segundo semestre, possibilitou a ampliação do atendimento em regiões com escassez de ônibus e o ajuste da oferta e da demanda de itinerários. A ideia do governo de Brasília foi reduzir a quantidade de trechos parecidos e aumentar a frequência de coletivos nos pontos.

As 700 mil pessoas que usam o sistema de transporte público coletivo contam com 1.098 linhas, operadas por 3.215 ônibus, que rodam 24 milhões de quilômetros. Registram-se mais de 25 milhões de viagens por mês.

Viadutos
Mais um passo para melhorar a infraestrutura de mobilidade no DF foi dado em 17 de dezembro, quando o governo oficializou o início da construção de quatro viadutos em Águas Claras. Por cima dos trilhos do metrô, eles vão interligar a Rua 37 Norte à 37 Sul; a 36 Norte à 36 Sul; e as vias internas da região à Rua Manacá e à Rua Alecrim. As construções custarão R$ 14.244.501,11 aos cofres públicos — média de R$ 3,5 milhões para cada uma —, e o prazo para conclusão é de cinco meses.

Expresso Sul
Em novembro, o Expresso Sul chegou à W3 Sul. As três linhas criadas passaram a funcionar a partir dos terminais do sistema: Santa Maria (2303/W3 Sul), Gama (2205/W3 Sul) e Park Way (2207/Park Way/W3 Sul). Para facilitar a cobrança das passagens, foram criadas bilheterias nas estações de integração do Gama, do Park Way, da Rodoviária do Plano Piloto e de Santa Maria, que ficam abertas todos os dias da semana para recarga e compra de cartões do sistema de bilhetagem automática.

De acordo com o Departamento de Estradas de Rodagem, 2016 será o ano de lançamento do Expresso Norte, que está em fase final de elaboração do projeto executivo e deve ser licitado ainda no primeiro semestre.

Para os beneficiários do Passe Livre Estudantil, a novidade foi o anúncio de que, a partir de 2016, os alunos que quiserem tirar o cartão terão de apresentar, além dos documentos já exigidos, o cadastro de pessoa física (CPF). “Assim evitaremos fraudes e teremos um maior controle do sistema”, reforça o secretário de Mobilidade, Marcos Dantas.

Metrô
Outras ações de 2015 mudarão a realidade do transporte público nos próximos anos. Em 16 de dezembro, foi assinada autorização para contratar estudo para construir a linha 2 do metrô, que passará na Asa Norte. Na mesma data, foi liberada uma análise para criação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), que circulará da antiga Rodoferroviária à Rodoviária do Plano Piloto, passando pela Esplanada. Será o chamado VLT Monumental.

A ideia é que o edital de contratação dos estudos, orçados em R$ 77 milhões, seja aberto no fim de janeiro. Outra licitação — no valor de R$ 26 milhões — será feita para elaborar estudos e projetos básico e funcional do Trecho 1 do VLT da W3.

Os recursos para os três estudos virão do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade, do governo federal.

Fiscalização
De janeiro a novembro, a Subsecretaria de Fiscalização, Auditoria e Controle da Secretaria de Mobilidade fez 545 autuações a transporte não regulamentado, 9.071 a taxistas e 17.488 a ônibus irregulares. Além disso, 3.726 ônibus foram retirados de circulação, e os motoristas irregulares, encaminhados para a delegacia. O número representa mais do que o dobro de todas as autuações de 2014.

Últimas Notícias