3/2/16 17:07
Atualizado em 16/5/16 às 15:04

Rendas mensais médias per capita e domiciliar aumentam no Varjão

Apesar da melhoria, números são os menores entre os divulgados para as 14 regiões administrativas onde a Pdad já foi concluída

.

Atualizado em 3 de fevereiro de 2016, às 17h49

Perfil do varjão AgenciaBrasiliaAs rendas médias mensais per capita (R$ 627,81) e domiciliar (R$ 2.274,48) calculadas no Varjão em 2015 registraram aumento em relação a 2011 e 2013. Os dados foram divulgados na tarde desta quarta-feira (3) pela Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), durante apresentação da Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (Pdad).

A renda per capita em 2011 foi de R$ 555,15; a domiciliar, de R$ 2.060,11. Em 2013, os valores eram R$ 583,93 e R$ 2.190,64, respectivamente. Apesar disso, os números registrados na pesquisa de 2015 são os menores entre os divulgados para as 14 regiões administrativas onde a Pdad já foi concluída.

A gerente de Pesquisas Socioeconômicas da Codeplan, Iraci Peixoto, destaca duas possíveis explicações para isso. “Houve um aumento de escolaridade. Pode ser que tenham se mudado para lá pessoas com uma renda um pouco mais alta”, presume. “Outra situação é que os moradores, por terem elevado o nível de escolaridade, podem ter conseguido salários mais altos nesse período de dois anos.”

De acordo com estimativas da companhia, o Varjão tem 9.215 habitantes, 0,42% a menos por ano desde 2013, quando o cálculo foi de 9.292. Da população atual, 50,54% são pessoas do sexo feminino e 49,46%, do masculino; 45,60% estão na faixa etária de 25 a 59 anos.

Quanto à escolaridade, 48,24% têm ensino fundamental incompleto e 18,7%, ensino médio completo. Aumentou o porcentual daqueles com ensino superior completo (incluindo especialização, mestrado e doutorado): passou de 1,48% em 2013 para 2,56% em 2015. Os analfabetos representam 1,25%.

Trabalho e migração
O levantamento aponta que 4.137 moradores do Varjão trabalham — a maior parte no comércio (33,82%), em serviços gerais (18,64%) e em serviços domésticos (16,82%). A construção civil representa 14,29%. Os empregados sem carteira de trabalho somam 9,69% do total — em 2013, essa porcentagem era de 23,72%.

Em relação ao local de trabalho, 25,71% trabalham no Plano Piloto; 20,81%, no Varjão; e 19,72%, no Lago Norte. Dos que atuam na própria região administrativa, 75,58% vão ao trabalho a pé, enquanto 5,81% usam ônibus.

De acordo com a pesquisa, 50,71% dos residentes no Varjão nasceram no DF e 49,29% são migrantes — desses, 70,45% são naturais do Nordeste.

A pesquisa foi feita no mês de setembro do ano passado, com amostra de 500 domicílios, e é a 14ª Pdad 2015 divulgada pela Codeplan. As outras regiões são Brazlândia, Ceilândia, Gama, Guará, Paranoá, Planaltina, Recanto das Emas, Riacho Fundo, Riacho Fundo 2, Santa Maria, Samambaia, Sobradinho e Sobradinho 2.

Atualmente, as equipes estão em campo em Taguatinga, no Park Way e no Jardim Botânico. A próxima pesquisa a ser divulgada será a do Núcleo Bandeirante.

Participaram da divulgação o presidente da Codeplan, Lucio Rennó; os diretores de Estudos Urbanos e Ambientais, Aldo Paviani, e de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas, Bruno de Oliveira Cruz; o gerente de Estudos Urbanos da Diretoria de Estudos Urbanos e Ambientais, Sérgio Jatobá; e o administrador regional do Varjão, Leandro Casarin.

Acesse a íntegra da pesquisa.

Veja a galeria de fotos:

https://www.flickr.com/photos/agenciabrasilia/albums/72157664111602121“; title=”Rendas mensais médias per capita e domiciliar aumentam no Varjão”>https://farm2.staticflickr.com/1636/24167267834_89cb20d93a_c.jpg”width=”800″ height=”531″ alt=”Rendas mensais médias per capita e domiciliar aumentam no Varjão”>