Fale com o Governo Ações em Destaques

3/8/16 às 21:07, Atualizado em 5/9/16 às 16:51

Centro Legal chega a Taguatinga

Durante fiscalização de irregularidades em hotéis nesta quarta (3), foram encontrados dois foragidos e 30 gramas de maconha. Ação do governo de Brasília para revitalizar áreas centrais do Plano Piloto será levada para outras regiões administrativas

Jade Abreu, da Agência Brasília

Dois fugitivos da polícia foram presos e 30 gramas de maconha, apreendidos, durante a primeira ação do Centro Legal em Taguatinga, na tarde desta quarta-feira (3). Parte do programa Viva Brasília – Nosso Pacto pela Vida, a iniciativa do governo de Brasília para revitalizar a Rodoviária do Plano Piloto e o Setor Comercial Sul, que começou no ano passado, será levada para outras regiões administrativas.

Dois fugitivos da polícia foram presos e 30 gramas de maconha, apreendidas, durante a primeira ação do Centro Legal em Taguatinga.
Dois fugitivos da polícia foram presos e 30 gramas de maconha, apreendidos, durante a primeira ação do Centro Legal em Taguatinga. Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília

Quarenta servidores de oito órgãos fiscalizaram irregularidades em hotéis próximo ao centro de Taguatinga. Os dois foragidos e a droga foram encontrados em um estabelecimento na CSA 2, Lote 2. Os hóspedes deverão sair imediatamente.  O local, autuado e interditado, também não estava de acordo com as normas de segurança e de higiene apontadas pela Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil, da pasta da Segurança Pública e da Paz Social, e pela Diretoria de Vigilância Sanitária, da Secretaria de Saúde.

As equipes fizeram buscas em outros quatro hotéis; três deles foram notificados por irregularidades elétricas e sanitárias. Os proprietários terão dez dias para regularizar a situação. Caso contrário, deverão pagar multa no valor mínimo de R$ 2 mil.

As equipes fizeram buscas em outros quatro hotéis; três deles foram notificados por irregularidades elétricas e sanitárias
As equipes fizeram buscas em outros quatro hotéis; três deles foram notificados por irregularidades elétricas e sanitárias. Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília

O capitão da Polícia Militar Renato Moreira, da Subchefia da Ordem Pública e Social do Distrito Federal, da Casa Militar, conta que os locais foram escolhidos após seis meses de investigação. “Estatísticas mostram quais são as áreas com mais incidência criminal, o que chamamos de manchas.” Segundo ele, as principais ocorrências são de tráfico de drogas, lesão corporal, roubo e furto a pedestres.

Também participaram da operação a Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis), a Administração Regional de Taguatinga, o Corpo de Bombeiros Militar e a Diretoria de Vigilância Ambiental, da Secretaria de Saúde.

Edição: Raquel Flores

Últimas Notícias