1/9/16 11:11
Atualizado em 1/9/16 às 19:53

Começa o revezamento da tocha paralímpica em Brasília

Aceso na manhã desta quinta-feira (1º), o fogo volta ao Parque da Cidade à tarde para um percurso de 10 quilômetros. O primeiro a conduzi-lo foi Cláudio Irineu da Silva, quatro vezes campeão mundial de futebol de amputados e medalha de ouro de vôlei sentado no Parapan 2007

A tocha paralímpica foi acesa às 9h58 desta quinta-feira (1º) no Estacionamento 12 do Parque da Cidade. De lá, seguiu em comboio para um trajeto por Brasília e volta para um revezamento de 10 quilômetros dentro do parque, conduzida por 82 das 103 pessoas que vão carregar o símbolo durante todo o dia. O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, participou da cerimônia.

O primeiro a conduzir a tocha paralímpica foi Cláudio Irineu de Araújo, quatro vezes campeão mundial de futebol de amputados
O primeiro a conduzir a tocha paralímpica foi Cláudio Irineu da Silva, quatro vezes campeão mundial de futebol de amputados e medalha de ouro de vôlei sentado no Parapan 2007. Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

“O Brasil é o sétimo do ranking mundial e tem a pretensão de ficar entre os cinco primeiros nessa Paralimpíada”, disse Rollemberg. “E Brasília, esse símbolo da igualdade, tem a honra de, assim como na Olimpíada, ser o local de acendimento da tocha.”

Coube ao professor de educação física Ulisses Araújo acender o fogo paralímpico. Ele trabalha com pessoas com deficiência desde 1980 e tem parceria com o governo de Brasília pela Associação Centro de Treinamento de Educação Física Especial, pela qual para-atletas usam os centros olímpicos e paralímpicos da cidade. O primeiro condutor foi o brasiliense Cláudio Irineu da Silva, quatro vezes campeão mundial de futebol de amputados e medalha de ouro de vôlei sentado no Parapan 2007, no Rio de Janeiro (RJ).

Tecnológica, a apresentação do acendimento foi acompanhada de mensagens de apoio enviadas pela internet por pessoas de várias partes do mundo. A tocha foi ligada enquanto um painel eletrônico marcava de onde vinham os conteúdos.

“É bonito a chama acender com essa ideia de interatividade, por meio de mensagens aos atletas. Fico honrada, como secretária e ex-atleta, por participar deste momento”, destacou Leila Barros, titular da Secretaria do Esporte, Turismo e Lazer, medalhista no vôlei em duas Olimpíadas.

Também compareceram à solenidade outros secretários de Estado e o administrador regional do Plano Piloto, Marcos Pacco, entre outras autoridades. Os Jogos Paralímpicos Rio 2016 serão de 7 a 18 de setembro, no Rio de Janeiro.

Revezamento da tocha paralímpica no Parque da Cidade

Do Parque da Cidade, a tocha seguiu em comboio para o Parque das Garças, na QI 15 do Lago Norte, que abriga um projeto de stand up paddle para pessoas com deficiência. O ponto seguinte será a unidade da Rede Sarah na QI 13 do Lago Norte. Depois, o Instituto Cultural, Educacional e Profissionalizante de Pessoas com Deficiência, no Setor de Indústria e Abastecimento e, em seguida, a Escola Nacional de Administração Pública e a Associação de Centro de Treinamento de Educação Física Especial, ambas no Setor Policial Sul. Antes de voltar ao Parque da Cidade, o fogo passa pelo Centro de Ensino Especial de Deficientes Visuais, na Asa Sul.

Às 16h15, o comboio com a tocha volta ao Parque da Cidade. O trajeto de 10 quilômetros será feito pela pista de caminhada e pelo kartódromo e passará pela hípica. Para esse momento, o ponto de saída será o Estacionamento 13 e o de chegada o de número 12, onde haverá apresentações culturais. Para facilitar o acesso de quem for acompanhar os shows, um ônibus da Linha 109 circulará, das 15 às 21 horas, da Rodoviária do Plano Piloto ao Parque — ida e volta. A passagem custará R$ 2,25.

Edição: Raquel Flores

Galeria de Fotos

Começa o revezamento da tocha paralímpica em Brasília