16/12/17 9:03
Atualizado em 18/12/17 às 9:34

Emater-DF organiza concurso para criar aplicativo de apoio ao produtor rural

Estudantes de tecnologia da informação do IFB vão elaborar dispositivo para smartphone. Vencedores da melhor proposta poderão atuar como estagiários na empresa pública

Alunos do Instituto Federal de Brasília participarão de concurso para elaborar aplicativo de interação entre extensionistas da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-DF) e produtores rurais.

A competição está estabelecida em acordo de cooperação assinado entre as duas instituições na segunda-feira (11), em cerimônia pelos 53 anos da Secretaria da Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural.

A proposta é que, por meio do smartphone, o agricultor confira dados sobre clima, preço de produtos e pontos de produção

Pelas regras do acordo, estudantes do último semestre do curso de tecnologia da informação serão convidados a elaborar uma plataforma digital com informações de fácil acesso a produtores rurais. O concurso recebeu o nome de Desafio, e os vencedores poderão atuar como estagiários na empresa pública por cerca de oito meses.

A proposta é que, por meio do smartphone, o agricultor confira dados sobre clima, preço de produtos e pontos de produção. Também está previsto o contato direto com o extensionista responsável pelo núcleo rural em que está a propriedade.

Serão formadas 10 equipes com sete alunos em cada uma. Os nomes dos inscritos deverão ser informados de 1º a 28 de fevereiro. Eles terão de 1º a 23 de março para elaborar a estrutura da plataforma e, em 24 e 25 de março, passarão por imersão no Centro de Treinamento da Emater-DF, em Planaltina.

O projeto consolidado deverá ser entregue em 30 de março. O resultado dos ganhadores sai em 7 de abril, no aniversário da empresa.

O incentivo à produção tecnológica é uma das frentes de trabalho da instituição, como destaca o diretor-executivo da Emater-DF, Rodrigo Marques: “Somos uma empresa de inovação, então iniciativas como essa são parte dos nossos compromissos. O custo estimado da medida é de R$ 9,6 mil, referente ao pagamento das bolsas de estágio.

Recém-formados do IFB poderão atuar nos escritórios locais da Emater

Outra iniciativa prevista pelo acordo de cooperação técnica é a possibilidade de os recém-formados do IFB atuarem nos escritórios locais do órgão, em caráter de especialização. “É como se fosse uma residência cursada por profissionais de saúde”, compara Marques.

Nesse caso, no entanto, a oportunidade se destina a estudantes com formação em setores afins à atividade da Emater-DF, como área agrícola e administrativa.

Com a assinatura do termo de cooperação, as parcerias entre Emater-DF e IFB estão institucionalizadas. Antes, elas ocorriam por meio de convênios específicos.

Edição: Marina Mercante