11/7/19 15:44
Atualizado em 11/7/19 às 15:44

Benefícios do projeto De Olho na Saúde chegam ao Hospital da Região Leste

Voluntários fizeram a manutenção de equipamentos, pintura e serviços de beleza para pacientes

Massagem é procedimento eficaz na diminuição do sofrimento de pacientes | Foto: Breno Esaki / Secretaria de Saúde

 

O Hospital da Região Leste (HRL, antigo Hospital do Paranoá) recebeu, nesta quinta-feira (11), os primeiros benefícios trazidos pelo projeto de controle social De Olho na Saúde. Os voluntários da iniciativa fizeram desde a manutenção de equipamentos hospitalares a pinturas na estrutura do hospital, além de serviços de beleza para os pacientes da unidade.

O projeto é da Controladoria-Geral do Distrito Federal (CGDF), em parceria com a Secretaria de Saúde do DF, o Conselho de Saúde e administrações regionais do Paranoá, de São Sebastião, de Itapoã e do Jardim Botânico, além da própria comunidade. O objetivo é estimular a participação ativa da população para aprimorar os serviços públicos prestados pelas unidades de saúde do DF.

No caso do HRL, a equipe de voluntários, formada por membros da comunidade e por servidores, começou o dia com o conserto de equipamentos como macas, camas e cadeiras de acompanhantes quebradas. O comércio local também ajudou, com a doação de alguns materiais para pintura e manutenção.

Já as áreas do pronto-socorro adulto, pediátrico e a ortopedia do hospital receberam uma pintura com grafite, feita por artistas locais, para tornar os ambientes mais agradáveis aos usuários. Além disso, a equipe de voluntários ofereceu aos pacientes internados desde cortes de cabelo a penteados, bem como maquiagem e massagens.

Grafite de artistas locais torna ambientes mais agradáveis aos usuários | Foto: Breno Esaki / Secretaria de Saúde

 

Para a costureira Francisca Maria, 46 anos, que sofreu um acidente de carro e está internada no HRL com o braço quebrado, a massagem foi mais do que bem-vinda. “Quando falaram em massagem, fui a primeira a pedir”, brinca Francisca. “Depois do acidente, fiquei muito tempo parada me recuperando, sentindo dor. A massagem trouxe uma leveza a mais”, acrescenta.

De acordo com a superintendente da Região de Saúde Leste, Raquel Bevilaqua, os benefícios trazidos pelo projeto continuarão ao longo da semana e se estenderão até 23 de julho. “A parte boa é que também envolveu os servidores. Nós os vimos se voluntariando, correndo atrás e somando outras ações além das atividades que prestam aqui. Sempre com foco na melhoria do hospital, porque também envolve os serviços que são ofertados na unidade”, afirma.

SERVIDORES – Uma delas é a enfermeira Tercília Ximenes. Apaixonada pelo HRL, a servidora está no hospital desde que foi inaugurado, há 17 anos. Agora, com o projeto de controle social, ela acredita que esta seja uma oportunidade de contribuir para melhorar a unidade. Tercília, assim com outros voluntários, foi capacitada para realizar auditorias cívicas, detectar os principais gargalos e propor melhorias.

“Aprendemos a otimizar vários serviços que já estávamos fazendo, além de mostrar nossa produtividade. Com a ajuda deles, estamos melhorando nossos processos internos e, hoje, com o início do projeto, acredito que podemos fazer um hospital mais forte, com o envolvimento da comunidade e dos órgãos de controle”, avalia a enfermeira.

INICIATIVA – O projeto De Olho na Saúde, inaugurado em 9 de abril no HRL, propõe uma mudança de enfoque que não privilegia apenas os problemas (naturais do setor), mas também as possíveis soluções e as boas práticas existentes, que merecem ser identificadas, valorizadas e replicadas para todo o sistema de saúde.

O Hospital Regional do Leste foi escolhido pela Controladoria-Geral do DF como projeto-piloto. A unidade atende, atualmente, a cerca de duas mil pessoas por mês vindas do Paranoá, de São Sebastião, de Itapoã e de localidades da Região de Saúde Norte, como Sobradinho.

 

*Com informações da Secretaria de Saúde do Distrito Federal