1/8/19 19:37
Atualizado em 1/8/19 às 19:37

Projeto da Transbrasília é destaque nas apresentações do Fórum de Infraestrutura

O projeto da Transbrasília, também conhecida como Avenida das Cidades, que está em fase de estudos pela Secretaria de Projetos Especiais do governo do Distrito Federal (GDF) e deve ser iniciado nesta gestão, por meio de uma parceria público-privada (PPP) que ainda está sendo modelada, foi um dos destaques do Fórum de Infraestrutura da América […]

O projeto da Transbrasília, também conhecida como Avenida das Cidades, que está em fase de estudos pela Secretaria de Projetos Especiais do governo do Distrito Federal (GDF) e deve ser iniciado nesta gestão, por meio de uma parceria público-privada (PPP) que ainda está sendo modelada, foi um dos destaques do Fórum de Infraestrutura da América Latina. O tema foi objeto de uma das palestras apresentadas hoje (1º) e integrou a seleção dos melhores projetos de infraestrutura apresentados no evento.

O Fórum, que está sendo realizado desde a quarta-feira (31) no Centro de Convenções Brasil 21, em Brasília, reúne secretários de estado e dirigentes de empresas estatais do Brasil e outros países latino americanos. De acordo com o Subsecretário de Prospecção de Projetos da Sepe, Luiz Ronaldo Cherulli, que fez a apresentação, o projeto da Transbrasília é inovador devido às soluções de engenharia, econômicas e ambientais que apresenta.

A declaração vai ao encontro de palestra recente do titular da pasta, o secretário de projetos especiais do DF, Everardo Gueiros, que destacou o fato de, além da mobilidade a ser oferecida à população, esta PPP também vir a ser atrelada à integração da estrada com núcleos a serem criados para atividades de lazer, entretenimento, moradia e trabalho num mesmo lugar.

O governador do DF, Ibaneis Rocha, também afirmou, durante a abertura do fórum, que a Transbrasília está entre as obras prioritárias do seu governo.

A ideia é de, com uma avenida de 26 quilômetros, promover a integração regional, a qualificação urbana e ambiental do DF, com significativa abrangência social, de forma a atender à população de todas as faixas de renda.

Movimento da economia

A obra beneficiará as cidades de Brasília, Guará I e II, Águas Claras, Park Way, Taguatinga, Samambaia e arredores. E movimentará toda a economia da região, com expectativa de vir a gerar algo em torno de 20 mil empregos diretos no período da sua fase de implantação e 80 mil empregos diretos e indiretos na fase de operação.

Além disso, beneficiará aproximadamente 372 mil habitantes e terá, em sua abrangência, 30% de área verde e 830 mil metros quadrados de áreas comerciais.

O projeto da Transbrasília também prevê conexões com 150 quilômetros de outras vias e 34 novas obras de arte e engenharia, tais como pontes, viadutos, trincheiras e elevados, 200 quilômetros de ciclovias, 900 mil metros quadrados de calçadas, oito parques, revitalização de outros parques existentes e plantio de 700 mil árvores, incluindo a compensação florestal.

 Outros projetos do GDF cujos estudos estão sendo feitos pela Secretaria de Projetos Especiais (SEPE) e foram objeto de palestras no fórum foram os de iluminação pública e de gerenciamento de resíduos sólidos. O projeto de iluminação pública foi feito pelo Subsecretário de Estruturação e Gestão de Projetos da Sepe, Eduardo Silveira, e o de resíduos sólidos, pelo técnico Antonio Dourado. O Fórum de Infraestrutura foi organizado pela empresa americana CG/LA.