16/10/19 16:43
Atualizado em 17/10/19 às 10:13

Rede pública de saúde recebe R$ 43 milhões para melhorar estrutura e serviços

Manutenções avançaram em 13 unidades hospitalares em pouco mais de três meses

| Foto: Breno Esaki / Secretaria de Saúde

Após anos sem realizar manutenção predial, a rede pública de saúde do Distrito Federal tem passado por melhorias para garantir mais qualidade na assistência prestada à população. Ao todo, R$ 43.283.430,30 estão sendo investidos nas intervenções em mais de 200 edificações, entre unidades básicas de saúde, hospitais e policlínicas.

A prioridade são os casos mais urgentes, como revitalização de telhados, reparos nos pisos, revisão das partes elétrica e hidráulica, além dos locais que possibilitarão a reabertura de mais leitos.

As ações são uma resposta aos resultados encontrados no levantamento preliminar feito em janeiro deste ano, que mostrou os pontos críticos de cada unidade de saúde.

As melhorias tiveram início assim que foi assinado o contrato de manutenção predial de emergência, no final de julho. Tais benfeitorias já podem ser vistas em 13 hospitais públicos, em pouco mais de três meses de atuação.

“Nosso objetivo é recuperar todas as estruturas da Secretaria de Saúde para oferecer um atendimento digno ao paciente e proporcionar melhores condições de trabalho aos servidores. Com essas manutenções, damos um basta em uma série histórica de descaso e falta de cuidado com as nossas unidades e reafirmamos o compromisso do governador Ibaneis Rocha em recuperar o setor de saúde”, frisou o titular da pasta, Osnei Okumoto.

Região Norte

Na Região de Saúde Norte, o Hospital Regional de Planaltina (HRPl) inaugurou recentemente, por exemplo, uma nova estrutura para enfermarias de internação.

Nesta revitalização foram investidos R$ 100.639,00. O montante possibilitou a manutenção de 32 leitos, dos quais seis da Unidade de Terapia Intensiva (UTI), três da enfermaria, seis das clínicas cirúrgicas, 14 da ortopedia e mais três leitos pediátricos.

O hospital ainda recebeu a instalação de dois postes de eletricidade; troca de todas as luminárias e da fiação na área externa; limpeza e impermeabilização de calhas; manutenção de toda a rede de incêndio; substituição de vidros quebrados e das portas mais antigas.

Está em andamento a desobstrução das redes de esgoto, além da troca da tubulação antiga e da revitalização dos banheiros do pronto-socorro, centro obstétrico, copa e administração, com pinturas e troca de azulejos.

Na mesma região, o Hospital Regional de Sobradinho (HRS) vem avançando na recuperação do telhado da UTI e dos núcleos de hematologia e hemoterapia. Também fez limpeza da rede de esgoto nas alas da maternidade, cozinha e nos núcleos de hematologia e hemoterapia; impermeabilizou com manta asfáltica o telhado da UTI; retirou infiltrações na canalização do almoxarifado; e está readequando a estrutura física de uma das alas para receber a nova autoclave. Até o momento, R$ 260.589,81 foram investidos nessas manutenções.

Região Sudeste

| Foto: Breno Esaki /Secretaria de Saúde

Outra unidade que tem passado por mudanças estruturais – e que necessitava, há anos, de reparo – é o Hospital Regional de Taguatinga (HRT), localizado na Região de Saúde Sudoeste.

Agora está em andamento a substituição de tubulações antigas por novas, impermeabilização de reservatórios inferiores com vazamentos e troca da fiação antiga para evitar incêndios.

Ainda no HRT foi necessário adaptar uma ala no pronto-socorro para instalar os monitores multiparamétricos, com novo layout e reorganização do espaço com divisórias. Desta forma, a unidade ganhou mais um leito na emergência.

A administração do hospital também refez toda a instalação de cabos de energia da subestação, colocou novos quadros de distribuição na sala do mamógrafo; revitalizou o abrigo para resíduos, com restauração completa do piso; retirou vazamentos e infiltrações nas emergências, portaria central, pronto-socorro e ambulatório; e concluiu a revitalização do parque da pediatria, com manutenção e pintura dos brinquedos. O investimento total foi de R$ 414.632,02. E ainda há mais mudanças e recursos programados.

Também na região Sudoeste, o Hospital Regional de Samambaia (HRSam) passou igualmente por mudanças na estrutura física. Com o aporte de R$ 440 mil previstos neste primeiro momento, foi possível pintar e trocar o piso na triagem de pacientes, na sala de pós-alta para mães, nas portarias central e do pronto-socorro; instalar novas portas de fuga no centro obstétrico; pintar as grades externas; substituir telhas antigas; retirar materiais inservíveis; trocar a porta de acesso externo; e revitalizar a fachada externa do hospital.

Região Sul

Na Região de Saúde Sul, que abrange Santa Maria e Gama, os hospitais das duas localidades também foram beneficiados. Na primeira, 30 leitos de internação foram abertos e pinturas foram feitas nos blocos da emergência e do ambulatório.

Também foi criada, no HRSM, uma cozinha para servir, por dia, 2,8 mil refeições a pacientes e acompanhantes, e a 350 para profissionais da unidade. Foram substituídos o piso, as paredes ganharam revestimento e parte das redes elétrica e hidráulica receberam manutenção. Houve investimento de R$ 1,5 milhão nesta unidade.

Já no Hospital Regional do Gama, um leito na UTI foi reaberto após o conserto do teto, que estava com infiltração. Aproximadamente, R$ 800 mil foram utilizados em várias intervenções, entre elas, a troca de telhas em pontos críticos, como no pronto-socorro, UTI e centro cirúrgico; impermeabilização de calhas; e limpeza de seis quilômetros de rede de esgoto do hospital.

Estão em andamento as revitalizações das duas enfermarias, da radiologia, dos corredores centrais e do laboratório de análises clínicas, com pinturas, manutenção dos banheiros e trocas de piso, do forro do teto e das partes hidráulica e elétrica.

Região Oeste

Os dois hospitais da Região de Saúde Oeste têm passado por intensas modificações em suas estruturas físicas. Em Ceilândia, mais de R$ 4 milhões foram reservados para melhorar o hospital e demais unidades de saúde da cidade.

Até o momento, foram concluídas a troca da rede elétrica de várias áreas do hospital. Enquanto isso, estão em curso as revitalizações do refeitório, com 95% do serviço concluídos; dos banheiros das pacientes do centro obstétrico, com troca de piso e azulejos; e do telhado, que nunca tinha passado por melhorias e está sendo impermeabilizado.

Além disso, para eliminar vazamentos, as tubulações antigas das instalações hidráulicas prediais do hospital estão sendo trocadas.

Em Brazlândia, pinturas e demais revitalizações estão sendo feitas nos pisos, redes elétrica e hidráulica do hospital. Em fase final, estão os serviços de impermeabilização das calhas, troca das telhas antigas por novas e as adequações na estrutura do sistema de esgoto da unidade.

Os banheiros do bloco materno, enfermarias e corredores centrais também têm passado por intervenções, com a troca de azulejos, pinturas e substituição da fiação antiga. Para estas e outras mudanças foram alocados aproximadamente R$ 400 mil.

Demais hospitais

Outros hospitais da rede também estão com suas manutenções em estágio avançado. Entre eles, é possível citar o da Região Leste (HRL, antigo Hospital do Paranoá); de Apoio de Brasília (HAB); São Vicente de Paulo (HSVP); Materno-Infantil de Brasília (Hmib); e Regional da Asa Norte (Hran).

No Hospital da Região Leste, foram revitalizados o telhado, com impermeabilização de todas as calhas; revisada a rede elétrica do ar-condicionado central; reformulado o centro cirúrgico, com adequação das estruturas física, elétrica, hidráulica, bem como a ampliação do box de emergência, demolindo-se algumas paredes para aumentar a capacidade de quatro para oito leitos. Foram alteradas duas portas na ortopedia para facilitar o trânsito de cadeirantes; além da pintura das áreas com fissuras ou mofo.

Revitalizações já foram concluídas nos pontos mais críticos do telhado do Hospital de Apoio, com troca de telhas, limpeza e desobstrução de calhas; e recuperação e impermeabilização da caixa d’água, que estava rachada. Também houve alterações em cinco enfermarias, com pintura, troca das redes elétrica e hidráulica, além da substituição de lâmpadas antigas por lâmpadas de LED, mais econômicas. A previsão é de que mais 15 enfermarias sejam revitalizadas.

No HSVP, foram concluídas as melhorias nas redes elétrica e hidráulica, com troca de fiações e de disjuntores antigos, além da limpeza das redes de esgoto e pluvial, e substituição de tubulações antigas por novas. A pintura do Ambulatório está perto de ser finalizada. O pronto-socorro e a fachada da unidade serão os próximos locais a receberem atenção.

Continua em andamento o ajuste de bancadas e intervenções nos banheiros, como pinturas, troca de pisos, de sanitários, dos azulejos e das portas antigas.

Outra unidade que concluiu algumas das intervenções propostas foi o Hospital Materno-Infantil de Brasília. Lá, a revitalização foi finalizada na odontologia, com pintura, troca do piso e das redes elétrica e hidráulica.

Também terminaram a troca das telhas quebradas e a impermeabilização das calhas; a desobstrução de dutos para reduzir prejuízos no período de chuvas; e a substituição do conjunto de tubulações nas instalações hidráulicas. E continua a revitalização da Radiologia, almoxarifado e lavanderia, com pintura e substituição da rede elétrica.

Por fim, no Hran vem recebendo tubulações novas de esgoto e substituição das fiações deterioradas na rede elétrica; limpeza das calhas e dutos, para reduzir prejuízos no período de chuvas; e retirada de vazamentos e infiltrações em vários pontos do hospital.

Está em andamento a manutenção de quatro banheiros, um no pronto-socorro da obstetrícia e três no pronto-socorro da clínica médica, com pinturas, troca de azulejos e de sanitários. Ainda será iniciada a revitalização da recepção do pronto-socorro da obstetrícia, que receberá pintura e reparos pontuais.

 

* Com informações da Secretaria de Saúde