25/10/19 14:55
Atualizado em 25/10/19 às 14:55

UBS 5 de Taguatinga amplia horário de atendimento

Projeto, que prevê funcionamento até as 22h, está em fase experimental e deverá ser levado a outros pontos do DF

DCIM\100GOPRO\GOPR3452.JPG
Com horário estendido, atendimento vai contemplar usuários que trabalham durante todo o dia e não tinham tempo para se consultar | Foto: Breno Esaki / SES

O horário de funcionamento da Unidade Básica de Saúde (UBS) 5 de Taguatinga foi ampliado. Agora, a comunidade da região poderá ser atendida até às 22h. Fruto de decisão da Secretaria de Saúde (SES), o aumento da carga horária é experimental e foi instituído com a expectativa de levar esse mesmo formato de expediente a outras 30 UBS distribuídas por todo o Distrito Federal.

“O programa Saúde na Hora, com horário estendido de funcionamento nas unidades de saúde, está previsto na Portaria Ministerial nº 930, de 15 de maio de 2019”, explica a secretária-adjunta de Assistência à Saúde, Lucilene Florêncio. “A proposta é abrir das 19h às 22h no DF para atender a quem trabalha o dia todo e precisa dar continuidade ao atendimento às suas doenças crônicas, a quem não pode faltar ao trabalho, ao esposo que quer acompanhar a mulher gestante nas consultas de pré-natal e às consultas de crescimento e desenvolvimento infantil e odontológicas”

 Atendimento

A secretária destaca que a iniciativa vai ao encontro das necessidades da população, devendo o horário ampliado ficar disponível nas unidades com maior número de servidores, que serão distribuídos nos três turnos – manhã, tarde e noite. Paralelamente, há um projeto da Coordenação da Atenção Primária de oferecer acolhimento único em cada UBS.

Nesse caso, haverá profissionais para fazer a escuta qualificada e encaminhar os direcionamentos necessários, deixando o pessoal de cada equipe de Estratégia Saúde da Família (ESF) disponível para atendimento às consultas agendadas, aos pacientes crônicos e à demanda espontânea.

“É preciso deixar claro que as UBS que funcionarem à noite não atenderão urgência e emergência”, explica Lucilene Florêncio. “Para isso, temos as Unidades de Pronto Atendimento [UPAs] e as emergências dos hospitais para os casos mais graves.”

Termo de compromisso

A iniciativa da SES, lembra Lucilene, visa organizar o processo de trabalhos dentro das equipes de ESF: “Queremos chegar a uma resolutividade maior, de 85% a 90% dos casos, para que somente os mais graves cheguem às emergências dos hospitais. Por isso, aderimos ao modelo do Saúde na hora e fizemos o cadastramento para que o DF participe desse horário estendido”.

O GDF assinou um termo de compromisso com o Ministério da Saúde para aderir ao programa, assumindo metas e indicadores. “Assim, esperamos dar uma melhor resposta e melhor assistência à população do DF, com a ampliação do acesso aos serviços e a melhoria da assistência, principalmente à população mais vulnerável, promovendo a equidade”, explica a secretária.

Expedientes

 Na UBS 5 de Taguatinga, o acolhimento noturno será feito por uma equipe composta por médico de família, enfermeiro e técnico em enfermagem. Eles atenderão aos pacientes agendados e à demanda espontânea.

De acordo com o superintendente da Região de Saúde Sudoeste, Luciano Agrizzi, a abertura de um novo horário não altera a vocação de atendimento da unidade, que integra a Atenção Primária. “As UBS não são para casos de emergência”, atenta. “Esse tipo de atendimento é feito nas UPAs e nos prontos-socorros hospitalares”.

* Com informações da SES