18/12/19 17:27
Atualizado em 18/12/19 às 17:27

Ministério habilita 20 leitos de UTI no Hospital de Samambaia

Com o credenciamento, DF terá um incremento de R$ 5,25 milhões por ano. Antes, unidade era classificada como clínica, mesmo apta a fazer terapia intensiva

O Ministério da Saúde habilitou 20 leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional de Samambaia (HRSam). Com o reconhecimento, o Distrito Federal fica credenciado a receber do governo federal o montante anual de R$ 5,25 milhões para manutenção dos leitos da rede pública. A habilitação foi divulgada na Portaria n° 3.370, no Diário Oficial da União (DOU), nesta quarta-feira (18), e entra em vigor a partir da sua publicação.

A busca por essa habilitação começou ainda em 2006. Com o credenciamento, a Região de Saúde Sudoeste  passa a ter 57 leitos oficiais de UTI neonatal, pediátrico e adulto, sendo a de Samambaia a maior da região. Eles ficam à disposição da regulação da Secretaria de Saúde, serviço que direciona os pacientes a essas vagas, de acordo com critérios clínicos.

Foto: Breno Esaki/Saúde-DF

Antes, a unidade estava oficialmente classificada como Clínica Médica, mesmo apta a fazer terapia intensiva. Com a habilitação, todos os procedimentos realizados na UTI agora vão ser faturados. 

“Foi um trabalho hercúleo, um grande marco para a Região de Saúde Sudoeste e uma grande oferta para todos os usuários do Sistema Único de Saúde”, comemora a secretária-adjunta de Assistência à Saúde, Lucilene Florêncio. “Houve comprometimento e compromisso de todos os setores do hospital e apoio total da administração central para fazermos todas as adequações. Temos uma equipe de colaboradores de excelência, o que fez esse sonho tornar-se realidade”, comemora a secretária-adjunta de Assistência à Saúde, Lucilene Florêncio.

Adequações
Para alcançar a habilitação, o hospital precisou fazer adequações no Laboratório, Radiologia, Centro Cirúrgico, Centro Obstétrico, Controle de Infecção Hospitalar, além de estruturar uma equipe de profissionais qualificados para o trabalho em UTIs, atendendo a todas as exigências sanitárias.

A secretária frisa que a habilitação foi um grande marco. “São leitos que cumprem todas as exigências da Diretoria de Vigilância Sanitária (Divisa), todas as regulamentações e que demandaram uma reestruturação de todo o hospital, dos protocolos à reforma predial”, lembra Lucilene.

“Passar por essas etapas foi muito importante no processo de habilitação. Com isso, houve um reconhecimento, de fato, que o serviço prestado no hospital corresponde ao praticado nas UTIs, com todos os critérios atendidos”, destacou o superintendente da Região de Saúde Sudoeste, Luciano Agrizzi.

História
A UTI do HRSam iniciou suas atividades em 2006, com seis leitos. Em 2010, foram acrescentados outros quatro e, em 2012, mais dez. Como não estavam habilitados, eram tratados como Clínica Médica. Somente em 2015 a Divisa realizou vistoria, permitindo formalizar um plano de ação para credenciamento e habilitação dos leitos.

Desde então, outras vistorias foram realizadas para dar cumprimento a todas as exigências do órgão. Em maio deste ano, o Colegiado Gestor dos superintendentes, subsecretários e secretário de saúde aprovou a habilitação por unanimidade para levar a solicitação de credenciamento ao Ministério da Saúde.

* Com informações da Secretaria de Saúde-DF