19/12/19 16:37
Atualizado em 19/12/19 às 16:37

Em busca da contemporaneidade

A atual gestão investiu R$ 22 milhões em vários projetos, de olho na modernização da administração e do atendimento ao público

A atual gestão olhou com atenção para os permissionários. Uma das novidades foi a implantação do programa de Recuperação de Débitos, para renegociação de dívidas junto a eles. Foto: Acácio Pinheiro/Agência Brasília

A Centrais de Abastecimento do Distrito Federal (Ceasa-DF) reabriu o Mercado do Peixe, inaugurou o primeiro dos três novos pavilhões de comercialização, um posto de Brigada de incêndio e primeiros socorros. Os investimentos chegam a R$ 22 milhões. E vêm por aí o Mercado Central de Brasília e a Nova Ceasa.

O pavilhão entregue tem 23 boxes com 14m de altura e 300 metros quadrados, cada. Além de aumentar a capacidade de armazenamento, a estrutura vai incrementar o portfólio de mercadorias. O novo empreendimento deve gerar 200 empregos diretos.

A Ceasa, em parceria com a Secretaria de Agricultura, reativou o Mercado do Peixe do local – fechado desde 2017 –, para devolver aos clientes que sempre pediam a volta da loja. Além de atender a demanda dos frequentadores, a reabertura do mercado significa um incremento na economia, impulsionada principalmente pelo consumo do pescado.

O Mercado do Peixe, ao lado do Mercado Orgânico, oferecerá pescados a um preço acessível, além de dar oportunidade aos piscicultores para oferecerem seus produtos ao público, e promete trazer inovações para a área. No mercado, haverá variedade de pescados produzidos na região do DF e Ride.

A inauguração do Posto de Brigadistas significa mais segurança para os frequentadores da Ceasa. Nos dias de Mercado Livre do Produtor (segundas e quintas-feiras) e Varejão (sábados), circulam 15 mil pessoas pelo espaço. Além de materiais de primeiros socorros, o posto terá servidores com condições de medirem a pressão arterial; equipamentos como cadeira de rodas, colar cervical, desfibrilador externo; e proteção contra incêndio e pânico.

Parcerias com seus trabalhadores

Essa gestão olhou com muita atenção também para os permissionários. Uma das novidades foi a implantação do programa de Recuperação de Débitos, para renegociação de dívidas junto a eles. A medida contribuiu para o aumento da arrecadação, com a adesão de 22 permissionários. Com a formalização das negociações, a arrecadação somou R$ 1.225.484,43, sendo R$ 647.688,90 em pagamento à vista e R$ 23.888.377,72, parcelado.

R$ 1,2 milhãoforam arrecadados com a implantação do programa de Recuperação de Débitos, para renegociação de dívidas junto aos permissionários

Com o programa de Recuperação de Débito, a Ceasa aumentou sua receita em R$ 625,5 mil, 48% a mais em comparação ao ano anterior

A empresa tem buscado parcerias, pensando em dar os melhores resultados para permissionários e consumidores. Para isso, foram feitos Acordos de Cooperação Técnica como o da Funap, em que a Ceasa doa pallets em desuso, para serem transformados em artesanato pela população carcerária. Já a parceria com o Sebrae busca promover ações para o desenvolvimento dos produtores rurais e de empresas do setor do agronegócio.

Uma das ações é o trabalho do Banco de Alimentos, que tem entre seus feitos os programas Desperdício Zero e Doação Simultânea. O primeiro arrecada alimentos considerados “feios” para comercialização, mas aptos para o consumo humano, enquanto o segundo trabalha com  parcerias e arrecadação de alimentos não perecíveis. Os programas são destinados a doações para instituições de caridade atendidas pelo Banco de Alimentos.

Incentivo ao conhecimento

A Ceasa também incentiva a cultura e o conhecimento no meio rural. Foi construída, em agosto, no Mercado Livre do Produtor (Pedra), a Biblioteca Comunitária. O projeto trabalha com sustentabilidade: a pessoa pega um livro e deixa outro. Todo o projeto foi feito com doações e reaproveitamento, desde o espaço até os livros que ficam na estante. 

Temos buscado alternativas para continuar oferecendo atendimentos de qualidade nas áreas de segurança, limpeza, parte social e infraestruturaWilder Santos, presidente da Ceasa

Também foi implementado o projeto Ceasa nas Escolas, Escolas na Ceasa, que visa alcançar as crianças em idade escolar. O objetivo é a promoção de hábitos alimentares saudáveis e a preocupação com o meio ambiente, desmistificando o descarte de cascas, talos e sementes e fazendo a correta separação do lixo e a compostagem dos resíduos orgânicos.

Palavra do presidente

A atual gestão da Ceasa, presidida por Wilder Santos, tem por lema três pilares: Qualidade, Solidariedade e Sustentabilidade. “Temos buscado alternativas para continuar oferecendo atendimentos de qualidade nas áreas de segurança, limpeza, parte social e infraestrutura. Tivemos avanços neste primeiro ano e colocamos as contas em dia. Com trabalho e determinação vamos transformar nossa Ceasa em referência e continuar a crescer”, disse.

*Com informações da Ceasa

Galeria de Fotos

CEASA - DF