17/1/20 8:53
Atualizado em 17/1/20 às 8:55

Mais três Centrais de Flagrante para o DF

Novas unidades funcionarão nas delegacias de Santa Maria, P Norte e Brazlândia, somando-se às outras 13 já implantadas. Medida assegura maior agilidade no combate ao crime

População terá apuração policial mais rápida e em período integral | Foto: Renato Araújo / Agência Brasília

O Governo do Distrito Federal está normalizando o atendimento nas delegacias de polícia do Distrito Federal, precarizado no governo passado, quando muitos delas chegaram até a fechar durante a noite. Mais três unidades policiais passarão a registrar também ocorrências de flagrante: a 33ª (Santa Maria), a 19ª (P Norte) e a 18ª (Brazlândia). E se juntarão a outras 13 que já foram transformadas em Centrais de Flagrante (Ceflag).

“As centrais são um braço forte da polícia contra o crime, porque elucidam rapidamente os casos”Anderson Torres, secretário de Segurança Pública

Com isso, a população dessas três regiões que necessitar de uma apuração policial mais rápida poderá fazer seu registro na própria cidade em que mora. Ou seja, não precisando mais se deslocar, às vezes, até outra região.

As ocorrências de plantão são aquelas em que, geralmente, há continuidade do crime. Por exemplo, uma perseguição a um suspeito, um atropelamento com fuga do motorista responsável ou um roubo em que os objetos foram encontrados na casa do criminoso.

Delegado Alberto Rodrigues: “Perde-se muito tempo no deslocamento de uma delegacia até outra” | Foto: Renato Araújo / Agência Brasília

Atualmente, nessas três delegacias esse tipo de caso é levado para outras unidades mais próximas, como é o caso de Santa Maria. Na 33ª DP são registrados somente boletins policiais de crimes que serão apurados posteriormente, como furto de documento e de objetos de casa e homicídios em que a autoria é desconhecida ou há apenas um suspeito.

Para o delegado-chefe-adjunto de Santa Maria, Alberto Rodrigues, a vantagem de se oferecer um serviço de Central de Flagrante não é só para a população, mas também para a própria investigação. “São muito mais céleres [as investigações] por causa de tempo, distância e dos agentes envolvidos na ocorrência, que, geralmente, estão todos ali. Perde-se muito tempo no deslocamento de uma delegacia até outra”, exemplifica o policial.

Alívio

A população de Santa Maria aprovou a iniciativa da Polícia Civil. O bombeiro hidráulico Agostim do Amorim, 66 anos, que reside na cidade, disse que já chegou a ir ao Gama registrar uma ocorrência. “Vai suavizar a vida de quem foi vítima de um roubo, por exemplo. Ir para o Gama demora uns dez a 15 minutos. Isso desanima muito”, lamentou.

Na 33ª DP (Santa Maria) só são registrados boletins policiais de crimes a ser apurados posteriormente | Foto: Renato Araújo / Agência Brasília

As três delegacias – 33ª (Santa Maria), 19ª (P Norte) e 18ª (Brazlândia) – passarão a oferecer o atendimento a partir da próxima quinta-feira (23). Haverá um delegado, um escrivão e agentes designados somente para cuidar desses casos mais rápidos. A medida foi tomada durante reunião, na última terça-feira (14), entre o diretor-geral da Polícia Civil, Robson Cândido, e o secretário de Economia, André Clemente, e só foi possível em razão do incremento do serviço voluntário gratificado dentro da PCDF.

Quem também comemorou foi o secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Anderson Torres. Para ele, as Ceflags vão reforçar o combate ao crime. “As centrais são um braço forte da polícia contra o crime, porque elucidam rapidamente os casos”, argumentou.

16 DPsdistribuídas pelo DF possuem Centrais de Flagrante

Além de Santa Maria, P Norte e Brazlândia, também possuem Central de Flagrante: 1ª DP (Asa Sul), 5ª DP (Área Central de Brasília), 6ª DP (Paranoá), 12ª DP (Taguatinga Centro), 13ª DP (Sobradinho), 15ª DP (Ceilândia Centro), 16ª DP (Planaltina), 20ª (Gama Oeste), 21ª (Taguatinga Sul), 24ª (Setor O), 26ª DP (Samambaia), 27ª DP (Recanto das Emas) e 30ª (São Sebastião). Estas e as demais unidades policiais também funcionam 24h para registro de ocorrências.

Ao assumir o governo em janeiro de 2019, Ibaneis Rocha determinou que todas as delegacias de polícia do DF voltassem a funcionar 24h. A medida passou a ser cumprida a partir de fevereiro do ano passado. Falta apenas a 17ª DP, que está em obras.

Somente 16 das 31 delegacias circunscricionais funcionavam o dia todo. As outras 15 abriam de segunda a sexta-feira, mas somente das 9h às 19h.