5/3/20 17:14
Atualizado em 6/3/20 às 11:39

Obras no Jardim Botânico para comemorar 35 anos

Os projetos têm foco na sustentabilidade e preveem reutilização de materiais, redução de resíduos e utilização de energia renovável

Foto: Arquivo / Agência Brasília

O Jardim Botânico de Brasília (JBB) ganhará, até o fim do ano, três novos estabelecimentos: um restaurante, uma praça de alimentação e loja de souvenir. As construções atendem à demanda crescente na unidade que registrou aumento de 30% na visitação em 2019 em comparação ao ano anterior. Os projetos têm foco na sustentabilidade e preveem reutilização de materiais, redução de resíduos e utilização de energia renovável.

O pacote de obras será anunciado no domingo (8) durante a solenidade em comemoração aos 35 anos do JBB, que terá extensa programação durante o fim de semana. Estão previstas as feiras de Artesanato e Orquídeas, palestra sobre meio ambiente, oficinas, exposição, passeio de trenzinho e outras ações voltadas para educação ambiental. Veja aqui a programação completa.

De acordo com a diretora-executiva do JBB, Aline De Pieri, as novas obras atendem a antigas reivindicações do público e trarão ainda mais opções de lazer. “Temos registrado um aumento significativo no número de visitantes e queremos atender cada vez melhor o nosso público. Os projetos estão alinhados à política do Jardim Botânico e todos os elementos compõem perfeitamente com o ambiente”, complementou.

Integração ambiental

O arquiteto do JBB, Lucas Henrique Gomes, responsável pelos projetos, explicou que todos os detalhes foram pensados de maneira a minimizar impactos ambientais e visuais. “Nossa ideia é que as construções se integrem ao ambiente, como se elas fizessem parte do jardim. A linguagem visual e arquitetônica de cada detalhe da obra devem se assemelhar ao ambiente e ao Cerrado”, explicou. A previsão é que o JBB faça licitação para selecionar empresas que ocuparão os espaços.

A loja de souvenir funcionará no Centro de Visitantes, e a proposta da diretoria é que o estabelecimento comercialize produtos artesanais que tenham como foco a valorização do meio ambiente e do Cerrado. “Todos que vêm ao Jardim querem levar uma lembrança desse lugar maravilhoso, por isso pensamos nesse espaço”, completou Aline De Pieri.

O novo restaurante, localizado próximo a portaria privativa, terá mais de 233 m² e com capacidade para 100 pessoas na área interna. “Vamos utilizar concreto aparente nas paredes para que fiquem parecidas com as árvores do local e toda a parte de alvenaria será feita com taipa de pilão (técnica construtiva que consiste em comprimir a terra em formas de madeira) que imitarão os cupins de barro”, explicou Lucas Gomes.

Já a praça de alimentação, que está próxima ao anfiteatro, funcionará nas antigas estruturas dos postos comunitários da Polícia Militar do DF.  Essas edificações estavam em desuso e sofrendo com o vandalismo nas ruas. “Recebemos a doação de três equipamentos e a ideia inicial era dar uma destinação sustentável. Pensamos, então, em transformá-los em lanchonetes. Acreditamos que dessa maneira as pessoas passarão mais tempo por aqui, contemplando a natureza e aproveitando tudo o que o Jardim oferece além de atrair o público para outros espaços da nossa área de visitação”, complementou Aline De Pieri.

Tanto o restaurante quanto a praça de alimentação darão suporte para o complexo cultural que funcionará na Alameda dos Estados e Nações. Para o mesmo local, já existe um projeto para realização da segunda etapa das obras do anfiteatro. Os recursos das obras são provenientes de emendas parlamentares.