17/3/20 11:43
Atualizado em 18/3/20 às 16:20

Águas Claras tem 17 mil metros quadrados de novas calçadas 

Ações na região administrativa estão em andamento e quantidade de passeios construídos deve dobrar 

Com quase 17 anos, a Região Administrativa de Águas Claras passa por uma revolução nas calçadas. Passeios danificados são demolidos e reconstruídos e outros, antes inexistentes, são implementados – tudo com acessibilidade, plantio de grama, meios fios e rebaixamentos necessários. Desde o ano passado, a cidade conta com 17 mil metros quadrados de novas passagens, mas a intenção é dobrar este número. Os contratos são executados com verbas de emendas parlamentares.  

“Quanto mais calçadas e com mais qualidade, há menos carros nas ruas, menos combustível”, disse a servidora pública. Foto: Paulo H Carvalho / Agência Brasília

A servidora pública Gabrielle Nunes, 45 anos, vive há três anos na cidade. Para ela, uma das maiores vantagens da jovem Águas Claras é poder resolver as coisas a pé – o que é facilitado com passeios novos. “Quanto mais calçadas e com mais qualidade, há menos carros nas ruas, menos combustível, menos emissão de gases, uma cidade mais limpa. É assim que caminha para ser sustentável”, valoriza. 

Na rua 18 Sul, onde mora, a intervenção é recente. Passeios novinhos estão em locais como as ruas 3 Norte e 4 Sul, a quadra 101, a Avenida Parque Águas Claras. De acordo com o administrador regional da cidade, o objetivo é construir novos passeios em toda a região. “A acessibilidade é importante para a população. Trechos com calçadas quebradas ou deterioradas também estão no pacote, com demolição e reconstrução. Tudo para evitar acidentes com pedestres”, diz Francisco de Assis da Silva. 

Desde o ano passado, o órgão recebeu R$ 950 mil em emendas parlamentares para execução dos projetos de calçadas. Os locais são escolhidos para intervenção conforme prioridades, demandas de associações de moradores e requerimentos recebidos pela Ouvidoria (telefone 162). A Avenida Sibipiruna, próximo à Companhia Energética de Brasília (CEB), é demanda antiga que deve ser atendida na próxima etapa de obras, por exemplo.  

Conservação 

Na rua 18 Sul a intervenção é recente. Passeios novinhos estão em locais como as ruas 3 Norte e 4 Sul, a quadra 101. Foto: Paulo H Carvalho / Agência Brasília

Calçadas recém-construídas sofrem com mau uso da população e não são raras as ocorrências de veículos estacionados nos novos passeios. Conforme o Código de Trânsito Brasileiro, a atitude é infração grave, com multa de R$ 195,23. O Departamento de Trânsito (Detran-DF) e o Batalhão de Policiamento de Trânsito da Polícia Militar foram acionados pela administração regional para combater a prática. 

Morador da quadra 101, o servidor público Marcelo Almeida, 32 anos, diz ter cansado de flagrar a ilegalidade. “Além da depredação, há desrespeito com quem precisa se deslocar e interferência no direito de ir e vir. Pior ainda é para quem tem deficiência ou anda com carrinho de bebê. É inadmissível ter que usar a rua movimentada porque carros estão estacionados em local impróprio”, reclama. 

“É preciso conscientização. As calçadas, demandas de oito, dez anos, não podem ser estragadas pelos próprios moradores”, destaca o administrador regional de Águas Claras, Francisco de Assis da Silva. Ele conta que são trabalhadas soluções para ampliar as vagas para veículos na cidade, com criação de bolsões de estacionamentos. 

 

Galeria de Fotos

Águas Claras tem 17 mil metros quadrados de novas calçadas