20/3/20 18:01
Atualizado em 20/3/20 às 18:02

Zoo: animais são cuidados durante período de quarentena

Mesmo fechado, funcionários do Zoo permanecem empenhados nos cuidados diários com os animais

A recomendação da Secretaria de Saúde é clara: ficar em casa em quarentena até que o coronavírus (Covid-19) se estabilize. Mas existem profissionais que se colocam em risco para atender quem mais precisa.

Médicos, enfermeiros, farmacêuticos, pesquisadores, policiais e bombeiros são alguns dos que abrem mão da quarentena para cuidar dos mais afetados pela doença. Quando se trata de zoológico, são os cuidadores, os médico-veterinários e os biólogos que priorizam a vida dos animais, que estão na linha de frente em garantir que a qualidade de vida deles não seja afetada.

A Fundação Jardim Zoológico de Brasília (FJZB) não interrompeu suas atividades internas diárias. Apesar de estar temporariamente fechado para visitação, os funcionários do Zoo seguem empenhados em cuidar e em garantir o bem-estar dos animais. O cuidado com os animais não é possível por meio do teletrabalho.

Por isso, em esquema de escala, são, no mínimo, 20 cuidadores de animais e um médico-veterinário para garantir a alimentação, o manejo, as atividades de enriquecimento e o acompanhamento veterinário àqueles que necessitam.

“Assim que a gente chega no Zoo, a nossa prioridade são os animais, porque eles precisam da gente. Então, a partir do momento em que estamos aqui, nos dedicamos totalmente a eles. A primeira atividade é a limpeza dos recintos, lavar os tanques, os bebedouros e trocar as água dos animais. Nisso, a gente já faz uma observação comportamental para saber se eles dormiram bem, se está tudo certo. Logo em seguida, é a hora da alimentação”, conta o supervisor de manejo, Gabriel Campanati.

Mesmo trabalhando em tempos de quarentena, os funcionários do Zoo não estão sem o devido suporte de prevenção ao coronavírus.  Os bebedouros foram desativados e outras fontes de água potável foram colocadas e, em pontos estratégicos, foi disponibilizado álcool em gel. Além disso, a equipe que se enquadra no grupo de risco foi reorganizada para teletrabalho.

“No Zoo, a vida dos animais vem em primeiro lugar. Mas também precisamos nos adaptar para proteger aqueles que estão aqui garantindo que nada disso afete a rotina dos nossos bichos.

A recomendação é que os colegas mantenham distância mínima de dois metros, lavem as mãos com frequência ou utilizem álcool em gel, tragam garrafinhas de casa e não compartilhem objetos pessoais”, explicou a diretora-presidente da FJZB, Eleutéria Guerra.

Enquanto a população cumpre a quarentena como medida de prevenção ao coronavírus, a equipe técnica da FJZB permanecerá empenhada em garantir o bem-estar dos animais.

* Com informações do Zoológico de Brasília