22/5/20 19:56
Atualizado em 22/5/20 às 20:45

Emprega-DF garantirá mais de 7 mil novos postos de trabalho

Além de geração de emprego, o programa visa qualificação profissional, diversificação da economia e busca de novos mercados

Um dos três acordos assinados pelo Governo do Distrito Federal nesta semana dentro do programa Emprega-DF assegura a criação de 7.811 novos postos de trabalho, 1.964 diretos e 5.847 indiretos. As negociações foram feitas pela Secretaria de Economia e pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico com as empresas Fujioka Eletro Imagem, Autotrac Comércio e Telecomunicações e Ball Beverage Can South America.

A Fujioka firmou o compromisso de reativar seu centro de distribuição no polo de desenvolvimento Juscelino Kubitschek, em Santa Maria. Nesse caso, são esperados 1.698 novos postos de trabalho ainda em 2020 e os demais até 2023. O acordo também estabelece que a empresa realize investimentos em 2020: de R$ 29.670.658,22 na reativação do centro de distribuição e mais R$ 3.433.500,32 em lojas de varejo.

A Autotrac e a Ball migraram do antigo programa Ideas Industrial, criado pela Lei nº 5.017, de 18 de janeiro de 2013, para o Emprega-DF. A primeira, com sede no Setor Complementar de Indústria e Abastecimento (SCIA), deverá manter pelo menos 273 empregos ou postos de trabalho diretos e 1,8 mil indiretos. A Ball também realizou a migração com o compromisso de manter pelo menos 112 empregos ou postos de trabalho diretos e 165 indiretos.

Os acordos firmados com as empresas preveem incentivos fiscais e, em contrapartida, elas devem alcançar metas e criar ou manter empregos.

Emprega-DF

O Decreto nº 39.803, de 2 de maio de 2019, criou o Emprega-DF. Já aderiram a Novo Mundo, a SKS Indústria Comércio e Serviços, o Grupo Mafra e a SDB Comércio de Alimentos (Supermercado Comper). Outros cinco projetos estão em análise pelas equipes das Secretarias de Economia e de Desenvolvimento Econômico.

O Emprega-DF alcança os setores de indústria e comércio e tem como objetivos a geração de emprego e a qualificação profissional, a diversificação da economia, o desenvolvimento integrado, a geração de novas tecnologias e a busca de novos mercados nacionais e internacionais.

*Com informações da Secretaria de Economia do DF