27/5/20 14:59
Atualizado em 27/5/20 às 15:13

Brasília será a primeira capital a hospedar profissionais do sistema penitenciário

Segunda etapa do programa Acolher visa proteger policiais penais que estão na linha de frente no combate à Covid-19 e atuam na Papuda

Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília
A hospedagem é para trabalhadores que morem com pessoas do grupo de risco e atendem internos suspeitos ou diagnosticados com o coronavírus que residam com pessoas do grupo de risco. Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

Os profissionais de execução penal que atuam na Papuda serão acolhidos para descansar após o dia de trabalho. Com essa medida, eles não precisam voltar para casa e, assim, reduzem as chances de transmitir a Covid-19 para seus familiares. Os servidores poderão se hospedar no Like U Hotel e no Kubitschek Plaza por meio do Programa Acolher, coordenado pela Secretaria de Turismo. Essa é a segunda fase do Programa, que iniciou com os profissionais da Secretaria de Saúde e agora se estende de forma inédita até os profissionais que atuam no Sistema Penitenciário do Distrito Federal. O anuncio foi publicado nesta quarta-feira (27), no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF).

O Programa Acolher tem como missão cuidar da saúde ocupacional dos servidores da carreira de execução penal do DF, visando os afastamentos decorrentes da contaminação pelo Covid-19 e proporcionando maior segurança para que os profissionais não se tornem foco de transmissão junto a seus familiares, impactando diretamente na qualidade do serviço prestado no Sistema Penitenciário do Distrito Federal.

Os servidores irão se hospedar em apartamentos individuais (single), com café da manhã, almoço e jantar. Além disso, terão mais tempo para descansar pois conseguirão acessar facilmente os locais onde trabalham, dada a localização privilegiada dos hotéis. As vagas são destinadas aos profissionais lotados nos estabelecimentos penitenciários e residam com pessoas do grupo de risco e estejam envolvidos no atendimento presencial dos internos suspeitos ou diagnosticados com o coronavírus. 

Os hotéis atenderam a todos os critérios e exigências estabelecidos no projeto básico elaborado pelo GDF, de acordo com a análise feita pela Setur-DF, além de ser a proposta mais vantajosa para o poder público. O contrato terá vigência de 30 dias a partir da sua assinatura, podendo ser prorrogado diante das necessidades para o enfrentamento da situação de emergência de saúde pública pelo coronavírus.  

“Esta é uma forma de agradecimento e reconhecimento da importância desses profissionais. O GDF oferece mais uma forma de proteção para eles e os familiares, uma vez que muitos arriscam a vida diariamente por todos nós, moram com pessoas idosas ou com comorbidades. E é uma forma de movimentar o setor hoteleiro, atingido pela crise econômica que é o efeito colateral da Covid-19”, diz o vice-governador Paco Britto. “A Setur está empenhada nas ações que possam garantir o bem-estar, a proteção e o conforto para os agentes penais e a segurança para as suas famílias.  A medida também é providencial para a rede hoteleira. O setor do turismo é um dos mais impactados pela crise atual”, avalia a secretária de Turismo, Vanessa Mendonça. 

Exigências para a acomodação

Para garantir a segurança dos trabalhadores, o hotel deverá seguir um protocolo de prevenção e limpeza dos ambientes. Os ambientes de uso coletivo, como salas de televisão/cinema, jogos, piscina ou sauna devem permanecer fechados. O estabelecimento também deverá limpar e desinfetar todas as superfícies de contato frequentemente, especialmente maçanetas, corrimões, balcões, botões de elevadores, etc.

Balanço de casos no sistema penitenciário

De acordo com o último balanço divulgado pela SSP-DF, até a última segunda-feira (25), 81 agentes estão com teste positivo para o coronavírus, sendo que 141 já se recuperaram. O monitoramento diário  dos casos e vem analisado, levando em consideração os cenários de possíveis baixas em decorrência desta situação com o objetivo de evitar que os profissionais da segurança pública se tornem focos de transmissão. 

O secretário de Segurança Pública do DF, Anderson Torres, reforçou a importância de uma gestão integrada no combate à pandemia. “Esta gestão entende que as medidas de prevenção à Covid-19 passam por ações interdisciplinares entre órgãos do GDF. Quando recebemos a categoria dos policiais penais e traçamos esse planejamento sobre o serviço de hotelaria, tivemos a Setur desde o primeiro momento ao nosso lado. Estamos sempre avaliando cenários para oferecer aos servidores da Segurança Pública a melhor estrutura preventiva que podemos”, destacou.

Profissionais de saúde

Os profissionais de saúde vinculados à Secretaria de Estado de Saúde inscritos no Programa Acolher começaram a chegar aos hotéis da holding Phenicia na sexta-feira (22). Até 250 profissionais podem ser beneficiados com a iniciativa. O Programa foi lançado na quinta-feira (21), por meio de uma cerimônia com número limitado de participantes devido à pandemia, para a assinatura do contrato de prestação de serviço.

*Com informações da Secretaria de Turismo