3/6/20 16:30
Atualizado em 3/6/20 às 16:32

AgroBrasília inova e fará edição on-line em julho

Organizadores prometem novidades para o agronegócio local entre os dias 6 e 10 de julho

Grande vitrine do agronegócio da região, a AgroBrasília vai aderir a tecnologia para não deixar de acontecer em 2020. Com a pandemia do novo coronavírus e a proibição de aglomerações, o evento, que no ano passado reuniu 121 mil pessoas, agora vai recorrer à internet para criar oportunidades de negócios, além de levar o que há de mais novo no mercado aos produtores rurais do DF e Entorno.

“A partir da experiência da feira de Palmas, que organizou tudo pela internet, vamos colocar os equipamentos, insumos e novidades do mercado numa plataforma exclusiva para quem se interessar”, explica o presidente do Comitê Gestor da Feira, Ronaldo Triacca.  Ele conta que a organização trabalha agora para fechar a programação até a próxima semana. “Tudo estará pronto para que façamos a feira virtual entre os dias 6 e 10 de julho”, prevê.

Inovação

Nos planos, além de uma área virtual exclusiva para expositores, a plataforma que está sendo construída terá espaço para salas interativas de debates, cursos de capacitação, venda de insumos e oportunidades de negócios. “Estamos estudando a possibilidade de termos até leilões virtuais”, antecipa Triacca.

Essa é a 14ª edição da AgroBrasília, que a cada ano tem ganhado espaço na economia do DF. Em 2019, a feira foi responsável pela movimentação de R$1,2 bilhões em negócios fechados. “É um evento muito importante não apenas por trazer tecnologia e informação para a área rural, mas também pelo volume de negócios que são fechados”, explica o secretário de Agricultura, Luciano Mendes.

Ano passado 120 mil pessoas circularam pela AgroBrasília. Fotos: Joel Rodrigues

O gestor informa que o governo está dando todo o suporte para que tudo dê certo. “É uma experiência nova para todos e vamos garantir que os serviços que sempre prestamos lá, de forma presencial, sejam oferecidos no meio virtual”, explica. Para isto, equipes da Emater-DF e da própria secretária trabalham na elaboração de cursos de capacitação virtuais, e na apresentação de todas as políticas públicas voltadas ao campo.

 “A plataforma é de fácil acesso, isto permite que o produtor possa participar gratuitamente pelo computador ou mesmo pelo celular”, explica Mendes.  Para os empreendedores rurais que estão em áreas mais isoladas, onde o sinal de internet é ruim, o governo também procura alternativas. “Vamos reforçar e liberar o sinal nas proximidades dos escritórios da Emater-DF. Mas todas as informações e o passo a passo, vamos divulgar a partir da próxima semana”.