30/10/20 12:42
Atualizado em 5/11/20 às 11:23

Três novos pontos de encontro comunitário no Recanto

GDF investe para melhorar qualidade de vida para moradores das quadras 109, 111 e 509 

Todos os pontos de encontro são equipados com aparelhos de musculação, alongamento e ginástica em geral, além de serem adaptados com rampas e piso tátil para garantir acessibilidade | Fotos: Acácio Pinheiro | Agência Brasília

Moradores das quadras 109, 111 e 509 do Recanto das Emas ganharam mais um espaço para se exercitar. Neste mês, foram instalados três Pontos de Encontro Comunitário (PEC) nas praças de cada quarteirão. A Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) fez o serviço em parceria com a administração da cidade atendendo a um pedido antigo da comunidade local. O valor investido foi de cerca de R$ 250 mil.

Antes do PEC, a pracinha da 509 não oferecia opções para a prática de exercícios físicos e, de acordo com os moradores, estava abandonada. O vigilante Alison Soares, de 38 anos, não teve dúvidas e em parceria com alguns vizinhos, organizou um abaixo assinado pedindo a construção do espaço. “Depois que entregamos o papel na administração não demorou para começar a obra”, afirmou.

Alison Soares fez um abaixo assinado pedindo o ponto de encontro na quadra 509 do Recanto das Emas

A iniciativa do vigilante foi mesmo o melhor caminho para a realização do empreendimento. Segundo técnicos da Novacap, o cronograma para instalação dos pontos de encontro é criado a partir das demandas apresentadas pela população e também pelas administrações regionais.

“Hoje, a movimentação da pracinha aumentou, principalmente no início e no final do dia. Muitas pessoas aproveitando e se exercitando”, destacou o idealizador do abaixo assinado.

Todas aos pontos de encontro são equipados com aparelhos de musculação, alongamento e ginástica em geral, além de serem adaptados com rampas e piso tátil para garantir acessibilidade para quem apresenta dificuldade de locomoção. “Agora temos uma academia na porta de casa”, afirmou o trabalhador autônomo Ataíde de Souza Silva, 46 anos.

Para o administrador do Recanto da Emas, Carlos Dalvan, os pontos de encontro são, acima de tudo, locais para estimular a cidadania e  melhorar a qualidade de vida da pessoas. “Com esforço de toda nossa equipe estamos conseguindo honrar a confiança e desafios desse trabalho”, disse.

Depois de concluída a obra, o importante, agora, é conservar os equipamentos e Alison Soares adverte: “em poucos dias que foram colocados [os equipamentos], algumas pessoas já fizeram mau uso e danificaram alguns. Chamei a atenção e expliquei que devemos cuidar do que é nosso”, salientou.