3/12/20 15:24
Atualizado em 3/12/20 às 15:24

Último ensaio do Casamento Comunitário

Casais que participam do programa do GDF repassam os preparativos para a cerimônia, a ser realizada neste domingo (6)

Na reta final para o grande dia, os casais ensaiam cada passo da cerimônia | Foto: Divulgação/Sejus

Passo a passo, eles caminham em direção ao tão aguardado momento do sim. Nesta quinta-feira (3), durante o último ensaio antes da celebração do Casamento Comunitário – evento promovido pela Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus) –, os 41 casais inscritos não conseguiram esconder a emoção e a ansiedade ao acertarem os detalhes finais para a cerimônia, marcada para domingo (6), no Museu da República, às 17h30.

“Não são apenas os noivos que estão contando os dias para o casamento”, afirmou a secretária de Justiça e Cidadania, Marcela Passamani. “Todos nós, que participamos da organização, também estamos ansiosos e cuidando de cada detalhe para garantir que esse dia seja especial. Para nós, não é a realização apenas de um evento, mas de um grande sonho.”

“Para nós, não é a realização apenas de um evento, mas de um grande sonho”Marcela Passamani, secretária de Justiça e Cidadania

Protocolos

Orientações e dicas sobre cabelos, maquiagem, posicionamento dos noivos no altar, forma correta de segurar o buquê e até sobre o momento do sim foram transmitidas aos casais.

“Durante a cerimônia, eles terão que seguir todas as regras de saúde e, devido à Covid-19, terão que usar máscaras, podendo retirá-las no momento adequado para o beijo do casal”, lembrou o cerimonialista Marcelo Pimenta, parceiro no evento. “Todos os protocolos serão respeitados”.

A emoção era visível nos olhos de Maria Eduarda e Vitor Silva, juntos há dois anos e, agora, a poucos passos de oficializar a união. “Estamos muito ansiosos, na expectativa, mas muito felizes”, resumiu Maria.

Quem também não escondeu a ansiedade foi Eliene Farias, que legalizará a convivência de 17 anos com o noivo, Rogério Ribeiro. “No dia da cerimônia, vou me segurar para não chorar”, disse. “Esperamos muito por isso, não tínhamos condições e agora podemos viver nosso sonho”, comemorou Rogério.

* Com informações da Sejus