28/3/21 10:20
Atualizado em 28/3/21 às 10:20

GDF realiza ações para implantar o Parque Burle Marx

Unidade de Conservação, administrada pelo Brasília Ambiental, aguarda resultado de licitações para obras de infraestrutura

DCIM\100MEDIA\DJI_0012.JPG
Área de 280 hectares recebe uma série de intervenções | Foto: Divulgação/Brasília Ambiental

O Governo do Distrito Federal, por meio da Secretaria do Meio Ambiente e do Instituto Brasília Ambiental, está empenhado em estabelecer o Parque Ecológico Burle Marx de forma efetiva. Para entregar o espaço à população, um pacote de ações tem sido realizado na Unidade de Conservação (UC) por meio de investimentos da Agência de Desenvolvimento do DF (Terracap), referentes a condicionantes e compensação ambiental da implementação do Setor Habitacional Noroeste.

O parque ecológico, situado entre a Asa Norte e o Noroeste, recebeu diversas intervenções positivas como cercamento, roçagem, plantios, construção de ciclovia com 5 km, às margens da Avenida W7, e a histórica retirada de 1.602 veículos do depósito do Departamento de Trânsito (Detran/DF), que ocupava a área há décadas. “A implementação da unidade ecológica representa um ganho muito importante para o meio ambiente e para a população do DF, que aguarda a concretização desse grande projeto há anos”, ressalta o presidente do Brasília Ambiental, Cláudio Trinchão.

Uma das ações para implementar o Parque Burle Marx foi a retirada de 1.600 carros do Detran que ocupavam parte da área | Foto: Divulgação/Brasília Ambiental

Trinchão ainda destaca a importância do Plano de Manejo da UC, aprovado em janeiro deste ano, para articulação e viabilização de recursos que vão beneficiar o espaço ambiental. “No caso do Burle Marx, o documento conta com dez programas. Um deles é o Plano de Recuperação de Áreas Degradadas (Prad), que já está em discussão e apresenta as diretrizes fundamentais para a recuperação ambiental das áreas afetadas, incentivando plantios e ações de mitigação de danos”, aponta.

Recentemente, o Parque Burle Marx recebeu um plantio de 500 mudas de ipês coloridos para instalação do primeiro Bosque dos Ipês, voltado para a Asa Norte. Em breve, um segundo bosque será implantado na parte voltada para o Noroeste, formando um mosaico de cores. Ainda integrando o tratamento paisagístico da UC, a expectativa é de que, até o fim deste ano, sejam plantadas 9 mil mudas nativas do Cerrado cedidas pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap).

O edital de licitação para contratação de empresa que execute as duas ilhas de lazer, com urbanização e paisagismo, foi publicado pela Terracap e ficará aberto até o dia 13 de abril, às 10h

Projeção 

Em uma primeira etapa, o projeto do parque prevê a implantação de estacionamentos, duas ilhas de lazer que serão compostas por campo de futebol, quadras poliesportivas, quadras de areia, Pontos de Encontro Comunitários (PECs), academias ao ar livre, parquinho infantil, pergolados, bicicletários e sanitários, além da construção de duas guaritas, uma voltada para a Asa Norte e outra para o Noroeste. Também haverá paisagismo da área com plantio de árvores e grama.

O edital de licitação para contratação de empresa que execute as duas ilhas de lazer, com urbanização e paisagismo, foi publicado pela Terracap e ficará aberto até o dia 13 de abril, às 10h. “O projeto do Parque Ecológico Burle Marx é completo, agrega tratamento paisagístico e urbanístico ao espaço público do Setor Noroeste, tornando-o um ponto de convívio comunitário para lazer e descanso, com a utilização dos seus equipamentos esportivos, mobiliários urbanos, espaços para caminhadas e contemplação”, sintetiza o diretor Técnico da Terracap, Hamilton Lourenço.

O Parque Ecológico Burle Marx integra uma área verde de 280 hectares que ainda preserva uma das maiores manchas de Cerrado da cidade, sendo considerado um importante corredor ecológico entre o Parque Nacional de Brasília e o lago Paranoá.

*Com informações do Brasília Ambiental