11/6/21 14:57
Atualizado em 11/6/21 às 15:01

Vacina contra a influenza para o Socioeducativo

Secretarias de Justiça e de Saúde imunizam servidores e jovens em sistema de internação e semiliberdade. Os do meio aberto devem ir até uma UBS

A Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus), em articulação com a Secretaria de Saúde do Distrito Federal, está promovendo a 23ª Campanha Nacional de Vacinação contra a influenza. A vacinação de adolescentes e servidores do Sistema Socioeducativo começou no dia 9 de junho e irá até o dia 9 de julho.

Vacina previne casos graves e minimiza contágio dentro das unidades socioeducativas | Foto: Divulgação/Sejus

Foram disponibilizadas 3.130 doses para atender aos servidores e os jovens em cumprimento de medida socioeducativa de internação e semiliberdade. Os adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa em meio aberto terão acesso à vacina nas Unidades Básicas de Saúde mais próximas de sua residência. Adolescentes das unidades de internação e internação provisória e servidores de cada unidade poderão ser vacinados na unidade de origem.

Para a secretária Marcela Passamani, “a vacinação contra influenza se torna necessária e importante neste momento de pandemia. Estar com a imunidade protegida é fundamental. Servidores e socioeducandos estarão mais seguros. Além disso, a iniciativa é uma ação preventiva, além de garantir o acesso à saúde”.

O secretário de Saúde, Osnei Okumoto, considera a campanha de vacinação contra a gripe tão importante quanto a campanha contra a covid-19. “A influenza é uma doença tão perigosa quanto a covid-19 e que pode levar a internações e ao óbito. Por isso é importante manter a população vacinada para prevenir o surgimento de casos graves”, destaca.

O subsecretário do Sistema Socioeducativo, Demontiê Batista Filho, explica a logística. “A participação na campanha nacional contra a influenza é fundamental para agirmos de forma preventiva contra doenças e agravos, minimizando os riscos de contágio nas unidades socioeducativas, garantindo proteção tanto aos socioeducandos quanto aos nossos servidores”, disse.

*Com informações da Sejus