14/7/21 11:26
Atualizado em 14/7/21 às 11:26

Implantação de BRT será discutida em audiência pública

Estudo e Relatório de Impacto Ambiental de empreendimento no Corredor Eixo Sudoeste serão apresentados durante um encontro on-line em agosto

“Esse evento visa reforçar o compromisso de todos, sociedade civil e poder público, com a preservação do meio ambiente, que é um bem comum, e todos temos o direito e o dever de usufruir dele de forma ecologicamente equilibrada” Maria Dulcinea Xavier Nunes, diretora de Meio Ambiente do DER

O Instituto Brasília Ambiental (Ibram) e o Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER) convidam a população a participar da audiência pública virtual para apresentação e discussão do Estudo e Relatório de Impacto Ambiental (EIA/Rima) referente à implantação de Bus Rapid Transit (BRT) no Corredor Eixo Sudoeste.

O local abrangido é formado pelas rodovias DF-001 (EPCT), no trecho entre a BR-060 e a VC-331, DF-075 (EPNB) e DF-003 (Epia).

O encontro será realizado em 17 de agosto, às 19h, com transmissão ao vivo pelo canal do instituto no YouTube. No site do Brasília Ambiental estão disponíveis todos os estudos, documentações e regulamento para participar da audiência remota.

Lives

Desde o início da pandemia de covid-19, o Brasília Ambiental tem promovido audiências públicas totalmente on-line, em formato de live, pelo YouTube. A participação do público tem crescido. As audiências públicas ajudam a colher informações para aprimorar o processo e os estudos de concessão de licenciamento para atividades e empreendimentos que empregam recursos naturais ou que possam causar algum tipo de poluição ou degradação ao meio ambiente.

A diretora de Meio Ambiente do DER, Maria Dulcinea Xavier Nunes, reforça a importância do encontro virtual para discutir um empreendimento criado para facilitar a vida de inúmeras pessoas. “Esse evento visa reforçar o compromisso de todos, sociedade civil e poder público, com a preservação do meio ambiente, que é um bem comum, e todos temos o direito e o dever de usufruir dele de forma ecologicamente equilibrada”, aponta.

*Com informações do Brasília Ambiental