19/10/21 21:15
Atualizado em 19/10/21 às 21:15

Combate à violência atrai instituições religiosas e sociais

Lideranças serão capacitadas para atuar junto à SSP-DF e às forças de segurança em suas comunidades

As lideranças que aderiram voluntariamente ao projeto vão atuar na prevenção da violência e da criminalidade envolvendo crianças, meninas, mulheres e demais grupos vulneráveis, como o dos idosos | Fotos: Divulgação/SSP-DF

Cerca de 40 representantes de instituições religiosas aderiram, nesta terça-feira (19), à Aliança Distrital – Instituições Religiosas e Sociais no Enfrentamento à Violência Doméstica e Familiar. O projeto, lançado pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-DF), integra o Programa DF Mais Seguro e funciona por meio de parceria com variadas representações religiosas.

Com adesão voluntária, as instituições poderão atuar, junto à SSP-DF e às forças de segurança, na prevenção da violência e da criminalidade envolvendo crianças, meninas, mulheres e demais grupos vulneráveis, como o dos idosos. A solenidade ocorreu no auditório da Legião da Boa Vontade.

“O combate à violência doméstica e familiar é uma determinação do governador Ibaneis Rocha, assim como estar próximo da população. Esses projetos nos dão possibilidade de atuação estratégica em cada território”Júlio Danilo, secretário de Segurança Pública

“Com a adesão, os representantes das entidades religiosas reafirmam a importância da participação no projeto e, a partir disso, passarão por todo o processo de credenciamento e capacitação para atuação em suas comunidades”, explica o secretário de Segurança Pública, Júlio Danilo.

De acordo com o titular da Segurança Pública local, esta é uma das ações de grande importância no combate à violência, principalmente contra a mulher. “Em março, lançamos o Programa Mulher Mais Segura, do qual a Aliança faz parte”, ressalta.

“Nossa ações são fundamentadas com base em estudos e levantamentos técnicos, que nos dão base para criação e aplicação de políticas cada vez mais eficientes. Esta parceria é essencial para combater a violência, pois sabemos da relevância da proximidade e participação na rotina da população de cada um desses líderes”, acrescenta.

As ações da Aliança estão sendo aplicadas nas regiões administrativas desde fevereiro deste ano, quando o projeto foi lançado. “Temos aplicado as ações junto às lideranças religiosas, como na Estrutural, por meio da Área de Segurança Prioritária (ASP) e, ainda, nas ações da Cidade da Segurança Pública (CSP), já realizada em Samambaia e Gama”, explica Júlio Danilo.

“O combate à violência doméstica e familiar é uma determinação do governador Ibaneis Rocha, assim como estar próximo da população. Esses projetos nos dão possibilidade de atuação estratégica em cada território”, completa o secretário.

“Estamos prontos para nos juntar às ações de segurança para o enfrentamento da violência doméstica. Muitos casos desse tipo acabam chegando até nós e, com a capacitação e adesão da Aliança, poderemos contribuir de forma mais efetiva”Elias Castilho, representante do Conselho de Pastores de Brasília

Ainda como parte das ações de enfrentamento à violência em parceria com lideranças religiosas, a SSP-DF realizou, por três meses, atendimentos psicossociais na Estrutural, por meio da ASP, como explica o subsecretário de Prevenção à Criminalidade da pasta, Sávio Ferreira.

“Os atendimentos gratuitos contemplaram orientações com psicólogos e também jurídicas. Esta foi uma demanda identificada por nossos agentes, num trabalho feito antes da realização da ASP, na Estrutural. Assim, com a interlocução junto às instituições religiosas, identificamos aquelas que tinham interesse em oferecer esses serviços, pois era necessário uma contrapartida desses estabelecimentos religiosos, como um espaço adequado e voluntários para fazerem a marcação das consultas e retornos.”

O secretário Extraordinário da Família, Iliobaldo Vivas, participou da solenidade. “Nos colocamos à disposição para contribuir com uma ação tão importante como esta”. A administradora regional da Estrutural, Vânia Gurgel, e a secretária Municipal da Mulher e Família de Águas Lindas, Sueli Faria, também participaram da cerimônia.

Lideranças religiosas

Para Elias Castilho, do Conselho de Pastores de Brasília, a integração entre governo e instituições religiosas é fundamental. “Estamos prontos para nos juntar às ações de segurança para o enfrentamento da violência doméstica. Muitos casos desse tipo acabam chegando até nós e, com a capacitação e adesão da Aliança, poderemos contribuir de forma mais efetiva”, afirma.

A representante da Central Organizada de Matriz Africana, Patrícia Zappone, comemorou a integração junto à SSP-DF. “É de extrema importância esse olhar da Segurança Pública, pois nossos espaços são de acolhimento de diferentes públicos. A capacitação das lideranças religiosas dá mais segurança para atuarmos e aumenta a interlocução entre a polícia e esses representantes”, relata.

De acordo com frei Rogerio Soares, da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, as lideranças religiosas têm acesso a casos de violência que não chegam até as autoridades policiais. “Trazer as representações religiosas para o centro dessa discussão é fundamental para alcançar o maior número de vítimas”.

*Com informações da Secretaria de Segurança Pública do DF