Fale com o Governo Ações em Destaques

28/10/22 às 17:46, Atualizado em 28/10/22 às 18:24

Parceria agiliza 260 exames respiratórios no Hospital Regional da Asa Norte

Ação da Secretaria de Saúde acontece nesta sexta (28) e sábado (29), com ajuda de laboratório farmacêutico

Agência Brasília* I Edição: Débora Cronemberger

Nesta sexta-feira (28) e no sábado (29), o Hospital Regional da Asa Norte (Hran) realiza um mutirão de espirometria, exame necessário para avaliar a capacidade respiratória. O planejamento é para atender 260 pessoas, encaminhadas de todas as regiões do Distrito Federal.

É o caso da dona de casa Maria de Lourdes Oliveira, de 59 anos. Diagnosticada com câncer no pulmão, ela precisava realizar a espirometria para avançar no tratamento. “Com esse exame, eu vou poder fazer minha cirurgia, e vai ficar tudo bem”, comemora. Para o mutirão, a equipe da Secretaria de Saúde recebe o reforço de cinco profissionais de um laboratório farmacêutico privado, que apoia a iniciativa.

Mutirão de espirometria agiliza atendimento no Hran | Foto: Tony Winston/Agência Saúde-DF

De acordo com o médico Rafael Melo de Deus, Referência Técnica Distrital (RTD) de pneumologia da Secretaria de Saúde, a espirometria é fundamental para pacientes com doenças pulmonares, como fibrose, bronquiectasias e enfisema, dentre outras. Também é indicado para quem fará cirurgias de grande porte ou está em recuperação de sequelas deixadas pela covid-19. “A espirometria é um teste que auxilia na prevenção e permite o diagnóstico e a quantificação dos distúrbios ventilatórios”, explica.

Além do Hran, o exame também é realizado no Hospital de Base e nos hospitais regionais de Taguatinga, Sobradinho e Gama. O mutirão nestes dois dias no Hran, porém, ajudou a reduzir o tempo de espera em todas as unidades. “Minha mãe está com tosse há oito meses e nunca foi tabagista. O cardiologista encaminhou para esse exame porque está piorando muito”, relata a professora Raquel Soares da Silva, que elogiou a organização e o atendimento no Hran.

A diarista Marceli Francisca do Nascimento também ressaltou a qualidade do serviço. Com apenas um pulmão funcionando, ela faz acompanhamento médico há mais de 20 anos e elogia a atenção dada desde a atenção primária. “No posto (Unidade Básica de Saúde) de onde eu moro, no Guará, o atendimento é espetacular. Eles me encaminham sempre para ver como está. É top“, conta.

*Com informações da Secretaria de Saúde

 

Últimas Notícias