Fale com o Governo Ações em Destaques

17/11/22 às 18:06, Atualizado em 17/11/22 às 20:18

Dia Mundial da Prematuridade é comemorado nesta quinta-feira (17)

Referência no Distrito Federal, o Hospital Regional de Santa Maria tem a única unidade de terapia intensiva neonatal da Região Sul. Assim, recebe pacientes de todo o DF e Entorno

Agência Brasília* | Edição: Rosualdo Rodrigues

Nesta quinta-feira (17), é comemorado o Dia Mundial da Prematuridade. “A data serve como forma de orientação para prevenir a prematuridade e mostrar a realidade da nossa taxa de mortalidade infantil”, explica a chefe de Serviço de Enfermagem da Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (Utin) do Hospital Regional de Santa Maria (HRSM), Lorena Cardoso Mendes.

“Novembro Roxo é o Mês da Prematuridade e focamos em educação e acolhimento a todas as famílias com bebês prematuros, assim como aos profissionais de saúde que se interessam pelo tema” Lorena Cardoso, chefe de Serviço de Enfermagem da Utin do HRSM

Mas o tema vai além do 17 de novembro. “Novembro Roxo é o Mês da Prematuridade e focamos em educação e acolhimento a todas as famílias com bebês prematuros, assim como aos profissionais de saúde que se interessam pelo tema”, explica Lorena.

Ela destaca que, realizando um pré-natal de forma adequada, as mães conseguem minimizar os riscos de uma detecção atrasada de qualquer patologia. Além disso, fatores fisiológicos e hereditários também podem ocasionar um parto prematuro.

A equipe multidisciplinar da Utin do HRSM é formada por 14 enfermeiras assistenciais, uma enfermeira rotineira, 69 técnicos de enfermagem, além de fonoaudiólogos, terapeuta ocupacional, psicóloga, médicos intensivistas e fisioterapeutas, que trabalham de forma humanizada, em constante contato com as mães.

O Dia Mundial da Prematuridade é uma oportunidade de orientar as mães para minimizar os riscos de uma detecção atrasada de qualquer patologia | Fotos: Davidyson Damasceno/IgesDF

A Utin possui atualmente 20 leitos ativos e regulados pelo Complexo Regulador do Distrito Federal. “Quando o nascimento é prematuro, o bebê vem para uma UTI com todo o aporte necessário para garantir sua sobrevida”, garante a chefe da Enfermagem. “Trabalhar aqui é ter um sentimento de gratidão; poder vivenciar pequenos grandes milagres e saber que podemos fazer parte desses momentos grandiosos”, conta.

Após o nascimento do bebê, as famílias precisam manter as vacinas em dia e realizar consulta para acompanhar o crescimento e o desenvolvimento. “Destacamos ainda a importância do aleitamento materno exclusivo até o sexto mês e orientamos sobre os cuidados com coto umbilical, troca de fralda, banho e técnicas de massagem”, lembra Lorena.

Em alusão ao Mês da Prematuridade, será realizado, no dia 23 de novembro, no HRSM, das 8h30 às 16h30, um evento de conscientização sobre o tema, com palestras voltadas para profissionais, mães de prematuros e público em geral.

*Com informações do IgesDF

Últimas Notícias