Fale com o Governo Ações em Destaques

18/11/22 às 11:00, Atualizado em 20/11/22 às 10:36

Tardezinha do Samba retoma formato presencial

Com apoio do FAC e entrada gratuita, o evento celebra a cultura afro-brasileira e o samba na Casa do Cantador, em programação que se estende até 4 de dezembro

Adriana Izel, da Agência Brasília | Edição: Chico Neto

Após duas edições realizadas online devido à pandemia de covid-19, o festival Tardezinha do Samba volta ao formato presencial, com incentivo do Fundo de Apoio à Cultura (FAC), da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec). A nova edição começa neste domingo (20) e vai até 4 de dezembro, na Casa do Cantador, em Ceilândia.

Entre as atrações a serem apresentadas, está o show dos Filhos de Dona Maria | Fotos: Divulgação/Davi Mello

“Aqui no DF temos algumas ações de samba que se limitam a roda e bares; as que são maiores não atingem os artistas da cidade como protagonistas”, avalia o coordenador do festival, Marcelo Café. “Então veio essa provocação. Queríamos promover a cultura na periferia, dar protagonismo aos artistas e grupos de samba e valorizar a cultura afro.”

O evento comemora duas datas importantes no calendário: o Dia da Consciência Negra (20 de novembro) e o Dia do Samba (4 de dezembro). A nova edição terá shows musicais, apresentações poéticas, desfile e ações formativas. A cultura afro-brasileira e o samba são os temas que norteiam a programação.

Atividades

“Tivemos a preocupação de buscar atrações que tenham um papel de colaboração com a cidade e com a juventude. Queremos trazer esse lugar de empretecimento” Marcelo Café, organizador do festival

Na abertura, o festival terá um bate-papo com a cantora Cris Pereira, a ialorixá Mãe Dora de Oyá e as jornalistas Maitê Freitas e Cláudia Alexandre, ambas de São Paulo (SP), para debater o tema “Falando de sambas – de Tia Ciata aos dias atuais: as lições das mulheres para o samba”.

Às 17h20, haverá desfile de moda afro com coleções de Lia Maria e Luanzi Luango. Os shows musicais começam às 19h, com apresentação dos grupos Nós Negras, Afoxé Ogum Pá, Jongo do Cerrado e Filhos de Dona, os cantores MC Estelar e Martinha do Coco e o DJ Savana.

“Tivemos a preocupação de buscar atrações que tenham um papel de colaboração com a cidade e com a juventude, em que o trabalho tenha como foco o lado artístico e social, com discurso de empoderamento e valorização da cultura afro-brasileira”, define o coordenador do festival. “Queremos trazer esse lugar de empretecimento.”

No dia 21, começa o ciclo formativo, com sete webinários a serem transmitidos pelo YouTube. As aulas seguem até 1º de dezembro. Entre os temas abordados nas formações, estão memória do samba, direitos autorais, mercado fonográfico e mercado de streaming

“Essa é a primeira vez que teremos a formação”, afirma Marcelo Café. “O FAC proporciona esse tipo de trabalho. Conseguir recursos é importante para promover outras formas de realizar o festival.” 

Em 2, 3 e 4 de dezembro, a Casa do Cantador volta a ter na programação Butiquim do Tardezinha, Cine Samba, Sambrincante, show variados e feira de arte e artesanato.

Serviço – Tardezinha do Samba
De domingo (20) a 4 de dezembro, na Casa do Cantador (Ceilândia). Entrada franca. Classificação indicativa livre. Ingressos neste link. Faça aqui sua inscrição para o ciclo formativo.

Martinha do Coco fará o show de encerramento do primeiro dia do festival

Programação 

→ Domingo (20) – homenagens ao Dia da Consciência Negra
15h às 17h: Bate papo com o tema “Falando de sambas – de Tia Ciata aos dias atuais: as lições das mulheres para o samba”. Com Cris Pereira, Mãe Dora de Oyá, Maitê Freitas (SP) e Cláudia Alexandre (SP). Mediação: Jackeline Silva
17h20: Desfile de moda afro. Coleções de Lia Maria e Luanzi Luango. Na sequência, shows musicais.
19h: Nós Negras
20h: Afoxé Ogum Pá
20h45: MC Estelar
21h: Jongo do Cerrado
22h: Filhos de Dona Maria
23h: Martinha do Coco
Nos intervalos: DJ Savana

→ Segunda-feira (21) a 1º/12 – ciclo formativo (online)

→ Dia 21,  das 19h30 às 21h30: Nossos passos vêm de longe: a memória do samba, com Jussara Sales

→ Dia 23/, das 19h30 às 21h30: Introdução a políticas e instrumentos de captação de recursos públicos e privados, com Naiara Lira

→ Dia 25, das 19h30 às 21h30: Direitos autorais no mercado da música, com Fernanda Audi (Ecad)

→ Dia 29, das 16h às 18h: Planejamento artístico, com Julio Salinas

→ Dia 30, das 16h às 18h: Noções de marketing digital e gestão de redes sociais para artistas e produtores, com Priscilla da Silva Rocha

→ 1º/12 , das 16h às 18h: Mercado fonográfico, com Filipe Alemar

→ 1º/12 , das 19h30 às 21h30: Mercado de streaming – distribuição digital e plataformas, com Priscilla da Silva Rocha

→ 2, 3 e 4/12: Comemoração do Dia do Samba, com Butiquim do Tardezinha, shows variados, Cine Samba, Sambrincante e feira de arte e artesanato.

 

Últimas Notícias