Fale com o Governo Ações em Destaques

5/12/23 às 19:30

Encaminhamento de pacientes e processos contratuais são aprimorados

Resultados foram apresentados pela SES-DF nesta terça (5) e fazem parte de projeto em parceria com o Hospital Sírio-Libanês. Objetivo é tonificar as áreas de regulação e contratualização da rede

Agência Brasília* | Edição: Carolina Lobo

A Secretaria de Saúde (SES-DF) apresentou, nesta terça-feira (6), os resultados do projeto desenvolvido em parceria com o Hospital Sírio-Libanês para tonificar as áreas de regulação e contratualização. Na capital federal, os processos contratuais já alcançam 95% das unidades de saúde, que trabalham com indicadores e metas claras de produtividade. Nesse aspecto, o resultado a ser alcançado agora será a assinatura de contratos de gestão com dez hospitais administrados diretamente pela SES-DF.

Chamado oficialmente de Projeto de Fortalecimento das Áreas de Regulação e Apoio à Contratualização, o trabalho realizado no DF também se repetiu em 24 estados, com apoio institucional do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e do Ministério da Saúde (MS). Brasília foi inserida na iniciativa por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS). Ao longo de 18 meses, a pasta avaliou processos, aprimorando práticas de gestão nos hospitais regionais de Taguatinga (HRT) e de Samambaia (HRSam). A expectativa é levar as melhorias a todas as unidades da rede.

A secretária de Saúde do DF, Lucilene Florêncio, apresentou os resultados alcançados com o projeto e ressaltou a necessidade de o SUS estar preparado para soluções disruptivas | Fotos: Sandro Araújo/Agência Saúde-DF

Outras mudanças foram possíveis ao longo do projeto, como adequações na gestão das clínicas e na redução do tempo de internação dos pacientes nos hospitais. Houve melhorias na área de gestão de custos e a criação de ferramenta para acompanhar as habilitações de serviços junto ao MS, entre outras ações.

A experiência prévia de acordos de gestão com as unidades de saúde e a necessidade de organizar os níveis de Atenção Secundária e Terciária foram ressaltados pela secretária de Saúde do DF, Lucilene Florêncio. “À medida em que a Atenção Primária foi ficando robusta, fez-se necessário a especializada se organizar”, afirmou. A gestora lembrou do preparo necessário para a adoção de tecnologias disruptivas, como inteligência artificial e robótica. “A medicina em todas as áreas evolui a cada dia e temos a nossa população necessitando de cuidados”, destacou.

Encontro realizado na sede do Conass, em Brasília, apresentou resultados do Projeto de Fortalecimento das Áreas de Regulação e Apoio à Contratualização, realizado no DF e em 24 estados

No encontro realizado nesta teça na sede do Conass, representantes de cada unidade da federação apresentaram resultados alcançados em seus territórios. O foco era a regulação, isto é, a classificação e o encaminhamento de pacientes conforme suas necessidades; e a contratualização – contratos estabelecidos tanto com unidades diretamente subordinadas à pasta quanto da rede complementar.

O diretor de Programa da Secretaria de Atenção Especializada à Saúde do MS, Aristides Vitorino Neto, ressaltou a relevância das diversas secretarias estaduais estarem unidas no projeto e a necessidade de integrar atividades distintas do Sistema Único de Saúde (SUS). “O tema regulação é importantíssimo e se conecta à contratualização”, argumentou.

A iniciativa foi desenvolvida em 50 hospitais de 24 estados e do DF, tendo sido elaborados 18 termos de referência que permitiram o amadurecimento das gestões. “Em dois anos, conseguimos uma evolução interessante”, garantiu a representante do Hospital Sírio-Libanês e responsável pela operacionalização do projeto nas SES do país, Carina Pires.

*Com informações da Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF)

Últimas Notícias